Marcos Bastinhas fala à Tauronews sobre a corrida do Campo Pequeno

Marcos Bastinhas é um dos três cavaleiros que abrirão amanhã a temporada 2024 do Campo Pequeno.

Depois de um início de temporada com compromissos importantes, o cavaleiro de Elvas chega agora ao Campo Pequeno moralizado e com vontade de triunfar.

Em vésperas da corrida, Marcos Bastinhas falou à Tauronews sobre as suas expectativas para o espetáculo:

Tauronews (T) – Marcos, tem sido uma temporada onde tem tido alguns compromissos importantes, em cartéis de responsabilidade como em Montemor-o-Novo, Salvaterra, Montemor, Portalegre, Alcácer… qual é o balanço que faz desta temporada até agora?

Marcos Bastinhas (MB) – É uma temporada muito pensada, em que decidi tourear menos para estar sempre ao meu melhor nível. Este ano a quadra de cavalos disponíveis está um bocadinho mais reduzida, a temporada passada sofri alguns revés com a perda de cavalos e não é fácil encontrar cavalos com a qualidade que eu almejo. Assim, a opção de tourear menos corridas não foi tomada de ânimo leve, mas sim com muita ponderação e sentido de responsabilidade. Felizmente os compromissos que temos tido têm corrido bem, têm sido triunfos bem conseguidos, mas muito trabalhados também, porque não vejo a profissão de outra forma.

T – Na passada temporada atuou no Campo Pequeno na corrida transmitida pela OneToro TV. Como é que vê a recusa da RTP em transmitir corridas de toiros e o facto de a OneToro apoiar a tauromaquia portuguesa e este ano voltar a estar presente no Campo Pequeno? 

MB – Tal como acredito que nas praça de toiros o público é quem manda, também no que concerne à televisão tenho a mesma opinião, devem ser ouvidas as pessoas e dar-lhes aquilo que elas querem ver. Afinal, deveria ser esse o intuito das televisões , servir os telespectadores. Todos, sem qualquer animosidade quanto aos gostos.
Assim sendo e quanto à sua pergunta, ser um canal espanhol a apoiar a tauromaquia portuguesa dá-nos a nós portugueses um certo orgulho, significa que temos valor além fronteiras, mas outro lado tristeza por não haver ninguém em Portugal com a coragem para se impor e dar corridas de toiros na televisão visto que nao tenho dúvidas que iria ter uma grande audiência.

T – Quinta-feira abre a temporada no Campo Pequeno, num ano em que a primeira praça do país volta a dar apenas 4 espetáculos. Como é que vê o seu nome anunciado novamente no Campo Pequeno numa temporada em que existem tão poucos lugares, à semelhança do que aconteceu o ano passado?

MB – Significa apenas que o trabalho que faço continua a chegar às pessoas, tenho a certeza que quando os empresários montam os cartéis têm a preocupação de fazer o exercício de saber quem traz pessoas às praças, só assim faz sentido. Qualquer pessoa percebe que se não houver pessoas a comprar bilhetes, não há motivos para haver espetáculos taurinos, daí a preocupação no momento de montar os cartéis, ninguém gosta de perder dinheiro. Quanto a mim, seja no campo pequeno ou noutra praça o meu compromisso é sempre o mesmo mas, claro que fico feliz de estar a abrir a temporada na primeira praça do país.

T – Um cartel de competição onde comparte cartel com um toureiro que vem moralizado de um triunfo forte nos Açores e um jovem que quer apertar, será certamente uma noite de competição?

MB – Quando entramos em praça estamos todos no mesmo patamar, tenho a certeza que trabalhamos todos no sentido de fazer o nosso melhor e cada lide é uma carta fechada, ninguém pode dizer que sabe como vai correr, somos nós, os cavalos, os touros. Há demasiadas condicionantes para se fazer previsões à partida e ainda bem que assim é, faz parte do espetáculo, mas a minha maior competição é comigo mesmo.

T – O Marcos é um cavaleiro que chega com muita facilidade às bancadas e move muito público atrás de si. Que mensagem gostaria de deixar aos aficionados para estarem presentes na próxima quinta-feira no Campo Pequeno?

MB – Aos aficionados só tenho a dizer obrigado e que cada vez que entro em praça é com a real vontade de os fazer viver uma noite diferente, em que no final saem contentes e com a certeza que o dinheiro e o tempo que gastaram, para nos ver e apoiar, foi bem gasto. E na quinta-feira não será diferente, entrarei em praça com tudo, para triunfar e agradecer, porque não sei fazer de outra forma.

Artigos Similares

Destaques