Aguado triunfa na segunda de Castellón

Tiago Correia Por Tiago Correia

Aguado triunfa na segunda de Castellón

  • 25 de março de 2022, Castellón
  • Feria de La Magdalena
  • Matadores: Morante de La Puebla (orelha e ovação), Emilio de Justo (silêncio após aviso e silêncio) e Pablo Aguado (duas orelhas e silêncio)
  • Ganadaria: Juan Pedro Domecq
  • Praça a 1/2 da lotação

 

Realizou-se hoje em Castellón a segunda corrida de toiros da Feria de la Magdalena, após não se terem realizado a corrida de García Jimenez e a corrida de rejoneo de Adolfo Martin, devido ao mau tempo. Do cartel fizeram parte três dos matadores de toiros mais destacados do panorama taurino espanhol: Morante de la Puebla, Emílio de Justo e Pablo Aguado. Lidou-se um curro de toiros da Ganadaria Juan Pedro Domecq.

 

Após os paseillo, os três toureiros foram obrigados a saludar nos tércios, debaixo de sonora ovação por parte do público que preenchia mais de metade da lotação da praça.

 

Foi lidado um curro de toiros da ganadaria de Juan Pedro Domecq, de boa apresentação e de comportamento desigual, destacando-se por cima dos restantes o terceiro da ordem e pela negativa o quinto, que foi a menos com o decorrer da função.

 

Morante de la Puebla esteve esforçado durante toda a tarde. Diante do seu primeiro, nobre, mas escasso de forças, realizou uma templada faena particularmente pela mão direito, por onde o toiro oferecia melhores condições. O toiro fechou-se em tábuas e a faena foi ligeiramente a menos. Uma grande estocada valeu ao diestro de La Puebla del Río o corte de uma orelha. Diante do segundo do seu lote, um bonito colorado, houve mais toureiro que toiro. Vontade e querer marcaram esta faena de Morante, a tentar tirar todo o pouco que o toiro tinha para dar.

 

Emílio de Justo não teve certamente a tarde sonhada na sua segunda aparição neste certame. Esteve valente com ambos os toiros do seu lote, a demonstrar que tem atributos para dar a volta a qualquer toiro. Na primeira faena, diante de um toiro encastado, Emílio deixou mostras do seu imenso valor, não deitando a toalha ao chão. Faena de mérito! No seu segundo, pior da corrida, realizou uma faena sem história, a qual prolongou em demasia. O seu bandarilheiro Morenito de Arles foi obrigado a saludar montera em mano após bandarilhar o quinto da ordem.

 

Pablo Aguado foi sem sombra de dúvida o triunfador da tarde. No seu primeiro, andou discreto no capote. Com a flanela rubra, o começo de faena foi presságio de muito mais. Em redondo, e com a mão direita surgiu a confirmação. Grande série com o matador a fazer ver a sua veia mais artista. Seguiu com a mão direita e agarrou definitivamente o público. Temple e profundidade. Grande faena do toureiro sevilhano. Um verdadeiro recital de arte no seu estado mais puro. Matou de estocada inteira e cortou duas orelhas.

No seu segundo, a faena não alcançou o nível da primeira, mas ainda assim deu para ver o valor e o toureio templado de Pablo Aguado. Ao som de La Concha Flamenca, deixou excelentes pormenores de toureio caro.

 

No final, saiu em ombros pela porta grande.

 

De realçar que a chuva que se fez sentir durante grande parte do festejo, danificando o estado do piso, o que dificultou bastante o labor dos artistas.

Ultimos Artigos

Artigos relacionados