Rui Bento: “O caminho que o trabalho deve ir seguindo é-nos marcado pelo aficionado”

O gestor taurino deu uma entrevista à revista 6 toros 6 e falou sobre a Temporada 2018 no Campo Pequeno, discutindo as novidades que se aproximam.

É preciso esforço para se alcançar “uma conquista com a de elevar e manter a categoria de uma praça como a de Lisboa”, afirmou. “E o caminho que o trabalho deve ir seguindo é-nos traçado pelo aficionado. Por isso, cada ano, no Inverno, procuramos ter reuniões com associações e aficionados, com a intenção de saber o que querem que seja a temporada.”

Com base nessas reuniões, este ano decidiram criar um abono para que os jovens possam ir à praça por pouco dinheiro, “ainda que os preços da praça já sejam bastante económicos”. “A ideia é ir aumentando o abono de Lisboa e dar facilidades às pessoas para que a questão económica não seja um obstáculo”.

Na entrevista foi ainda discutido o debate que tem sido feito em Portugal sobre a duração das corridas e que foi até motivo de um programa no Campo Pequeno TV. Rui Bento explicou que esse também foi um assunto saído das reuniões com as associações e os aficionados. “É um debate a nível nacional e tomámos o compromisso de tentar evitar a maior quantidade de tempos mortos possível no festejo para conquistar um espectáculo com mais ritmo.”

Rui Bento falou ainda da corrida, fora do abono, que o Campo Pequeno dará este ano, a preços mais baixos e com 50% de desconto para o abonado. Será uma corrida de seis rejoneadores, que assim podem ganhar o direito de voltar, e será a um sábado, para que possam dar alternativas ao aficionado e ver qual é o resultado.

Outra das novidades, como tem sido anunciado, é o carácter torista desta temporada, sendo lidados toiros de ganadarias portuguesas de grande prestígio.

Questionado sobre se Juan José Padilla se despedirá de Lisboa, Rui Bento respondeu que é essa a intenção, havendo duas corridas no final da temporada em que contam receber o toureiro.

O gestor taurino disse ter também esperança de que Diego Ventura esteja presente esta temporada, e adiantou que o plano era que o rejoneador luso-espanhol pudesse ter uma encerrona no final da temporada, a 20 de Setembro. No entanto, agora que o toureiro anunciou que lidará seis toiros sozinho em Las Ventas, a situação alterou-se. “O nosso desejo é chegar a um acordo, falar com ele no escritório, sem pressões, e não através de recados pela imprensa.”

Rui Bento confirmou ainda estará presente na corrida de 9 de Agosto, de homenagem ao emigrante, um grupo de forcados dos Estados Unidos, o Grupo de Turlock. O objectivo é, sendo a figura do forcado muito importante em Portugal, ter uma ampla oferta nesse campo. Por esse motivo, explicou Rui Bento, anunciaram 25 dos 38 grupos registados na associação. “A ideia é que todas as regiões se vejam representadas no Campo Pequeno e dar facilidades aos aficionados dessas zonas para que venham à praça.”

 

 

 

 

Fotografia: Frederico Henriques

Ultimos Artigos

Artigos relacionados