Crónica: Corrida de toiros em Tomar, 11 de setembro de 2021

Crónica

A praça, José Salvador preencheu 1/4 da sua lotação normal. Em praça estiveram Manuel Teles Bastos, Duarte Pinto e António Prates. Dois Grupos de Forcados em ano de aniversários redondos, Amadores de Tomar (65 anos) e Amadores de Alcochete (50 anos), frente a toiros da ganadaria Santos Silva.

Abriu praça Manuel Teles, frente a um toiro reservado que só rompia com “arreões”, o toureiro da Torrinha foi conseguindo ultrapassar as serias dificuldades com a ferragem da ordem tanto nos ferros compridos como nos curtos até ao segundo ferro curto em que o toiro se adiantou de tal forma ao cavalo colhendo-o com séria gravidade. Neste momento na arena a expressão dos intervenientes era bem visível a  preocupação geral. Após a recolha do toiro aos currais pra que fosse possível socorrer o cavalo estendido na arena, também Manuel Teles acabou por ser encaminhado para o hospital. Apesar de ter sido posto a hipótese de devolver o toiro á arena para que se pudesse efectuar a pega os Amadores de Tomar recusaram.

O segundo toiro da noite para Duarte Pinto, também este reservado e com sentidos dispersos para o que acontecia fora da arena, o toureiro cravou a ferragem da ordem sem compromisso e com a alegria habitual junto das bancadas. Pelos Amadores de Alcochete, coube a Jose Freire, ir para cara do toiro que aproveitou bem a sua saída solta com o grupo a mostrar a coesão consumando á primeira tentativa.

O terceiro da ordem foi toureado pelo jovem António Prates, que nos ferros compridos foi regular e nos ferros curtos arriscou ao pisar terrenos de compromisso tendo proporcionado nesta lide o melhor que se viu nesta noite no que aos cavaleiros diz respeito.

Os Forcados de Tomar, efectuaram ao primeiro intento sem dificuldade e com boas ajudas dos restantes elementos.

No quarto da noite após ser comunicado que o Manuel Teles Bastos não voltaria a estar em praça seguiu-se a ordem de lide e voltou a estar em praça Duarte Pinto que cumpriu a ordem de ferros sem dificuldades e todos por igual. Para a cara toiro os Amadores de Alcochete escolheram o jovem João Dinis, forcado ainda em processo embrionário, mas com tranquilo cite bonito na cara dos toiro, apesar de ter feito tudo bem na primeira tentativa o grupo acabou por imobilizar o toiro com o jovem forcado fora da cara do mesmo, na segunda tentativa toiro voltou a arrancar alegre e o forcado superou-se no bem que esteve na primeira tentativa e consumou á segunda com o grupo todo muito bem a ajudar de frente.

No quinto da noite António Prates andou tranquilo fazendo tudo bem feito, mas sem ter rompido para uma lide triunfo apesar de ter estado bem.

Os Amadores de Tomar voltaram a estar em praça também eles aproveitaram a investida alegre que todos os toiros Santos Silva proporcionaram em todas as pegas, o grupo mostrou uma boa coesão, consumando á primeira.

O sexto e último da noite toureado a duo os cavaleiros limitaram-se a cravar os ferros da ordem sem grandes brilhantismos. O toiro tal como os outros reservados na lide foi pegado pelo já experiente Manuel Pinto que efectuou á primeira sem dificuldades de maior.

Todos artistas em praça mereceram música cedida pela direção da corrida. Todos os cavaleiros e Forcados deram volta no final das actuações.

Destaques de relevo:

  • Queda de Manuel Teles Bastos com a consequência de lesão grave na montada e cavaleiro.
  • Lide de António Prates ao terceiro da noite.
  • Prestação dos dois grupos de Forcados que tornaram fácil o que durante as lides parecia vir a tornar-se difícil.
  • O curro vindo do vale do Mondego foi díspar de apresentação e de comportamento, sendo o último da corrida o mais alegre durante a lide.

Ultimos Artigos

Artigos relacionados