Triunfal tarde de João Telles com a despedida de um Rei marcam a tarde de Alcochete

Triunfal tarde de João Telles com a despedida de um Rei marcam a tarde de Alcochete

  • 14 de agosto de 2022, Alcochete
  • Concurso de Ganadarias
  • Cavaleiros: João Telles, Francisco Palha e João Salgueiro da Costa
  • Forcados: Alcochete
  • Ganadarias: Branco Núncio, Dr. António Silva, Vinhas, Fernandes de Castro, Passanha e Alves Inácio
  • Praça a 3/4 fortes de lotação

 

Tarde soalheira em Alcochete para a primeira corrida das festas das salinas e do barrete verde. Praça cheia de um público aficionado e entendedor para ver o tradicional concurso de ganadarias. Saíram a concurso as ganadarias Branco Núncio, Dr. António Silva, Vinhas, Fernandes de Castro, Passanha e Alves Inácio. A terna era composto por João Ribeiro Telles, Francisco Palha e João Salgueiro da Costa. Pegou em solitário o Grupo de Forcados Amadores de Alcochete.

 

Esta tarde é um hino ao forcado Amador e ontem marcada pela despedida de um primeiro ajuda de eleição, que ao longo de 24 anos vestiu e honrou com uma dedicação, entrega e espírito de grupo só ao alcance dos grandes homens.

O João Rei foi ao longo destes anos um ajuda que deixou momentos memoráveis, com ajudas tecnicamente perfeitas e quando necessário dando o corpo com entrega até ao fim como foi o caso da pega da sua despedida. Um obrigado a tudo o que deste à tauromaquia e ao teu grupo em particular sendo um exemplo a seguir.

Para a cara do primeiro da tarde foi o jovem João Dinis só consumou á terceira tentativa por incorreta investida do toiro devido à sua falta de força.

Víctor Marques foi para a cara do Castro e esteve muito correto no mandar e no receber com o toiro a empurrar o grupo até às tabuas.  Para o Vinhas foi eleito Henrique Teixeira Duarte que citou com galhardia até entrar nos terrenos do toiro, conseguindo uma pega limpa exemplarmente ajudado pelo grupo.

O cabo Nuno Santana brindou a João Rei num brinde carregado de emoção, àquele que durante décadas foi o seu primeiro ajuda. Fez um site templado mostrando-se bem ao toiro que estava algo distraído, para o carregar e fechar-se no cornalão com eficácia superiormente ajudado pelo João e restante grupo. Seguiu-se a volta e despedida entregando a jaqueta ao seu cabo e ao grande amigo Doutor Passarinho. A última volta ao ruedo foi dada debaixo de uma ovação de fazer arrepiar, de público reconhecedor da carreira única.

Manuel Pinto enfrentou o Passanha andando vistoso e com arte para reunir na perfeição com o grupo coeso de novo.

Por último perfilou-se o jovem João Maria Pinto. O Núncio era um toiro bruto e com teclas ao qual o jovem forcado fez três tentativas sem sucesso recolhendo à enfermaria. Saltou para a dobra o experiente Diogo Timóteo que ainda assim teve de fazer duas tentativas duras, a última já a sesgo e resultando numa valente pega.

 

O primeiro toiro da tarde pertencia à ganadaria de Alves Inácio com 535 kg, lidado por João Teles. Um toiro de boa apresentação, com muita qualidade mas justo de forças. João Teles teve uma lide correta entendendo as distâncias para colocação de ferros com acerto.

Em segundo lugar saiu à praça o exemplar de Fernandes de Castro de 555 kg, um toiro bonito mas sempre a medir, nunca se entregando à lide esforçada de Francisco Palha que tentou de todas as formas dar a volta ás dificuldades do Castro que nunca foi franco.

João Salgueiro da Costa lidou o exemplar de Vinhas que pesou 555kg, um toiro dentro do tipo do encaste Santa Coloma. O toiro deixou-se lidar, tinha codicia e o cavaleiro soube entender os terrenos e arrancou uma lide com ferros de muita qualidade e a fazer levantar o publico.

No quarto toiro da corrida vieram os momentos altos da tarde. Um Silva bem apresentado que pesou 585 kg, aplaudido de saída, foi um toiro de muita transmissão a que João Teles soube tirar partido das excelentes investidas conseguindo uma lide inspirada com dois últimos ferros de meter a praça em pé, saindo como triunfador da corrida.

O Passanha que pesou 560 kg saiu com pata e Francisco Palha abriu com uma porta gaiola num ferro com emoção. O toiro depois do segundo ferro entrou num galope dos murubes que se entregou nas investidas, o qual o cavaleiro não conseguiu entender da melhor forma, resultando a lide com altos e baixo.

Por último saiu dos curros um Núncio de 550 kg, trazia mau génio não foi claro. Tinha arrancadas bruscas e não deu facilidade a João Salgueiro da Costa, ainda assim conseguiu ferros de grande nota em terrenos de compromisso. Conseguiu sair por cima de um toiro complicado.

 

Em disputa estavam os prémios de bravura e apresentação ambos ganhos pelo toiro da Ganadaria António Silva.

Foto João Silva

Artigos Similares

Destaques