Telles triunfaram com força na alternativa de Joaquim Brito Paes

Telles triunfaram com força na alternativa de Joaquim Brito Paes

  • 21 de julho de 2022, Campo Pequeno
  • Alternativa de Joaquim Brito Paes
  • Cavaleiros: António Ribeiro Telles, João Salgueiro, António Maria Brito Paes, João Salgueiro da Costa, Joaquim Brito Paes e António Ribeiro Telles filho
  • Forcados: Montemor e Lisboa
  • Ganadaria: António Raúl Brito Paes
  • Direção de Lara Gregório de Oliveira assessorada por Jorge Moreira da Silva
  • Praça Cheia

 

A noite da passada quinta-feira no Campo Pequeno marcava a reabertura do tauródromo da capital do nosso país, a Catedral do Toureio a Cavalo. Aliciantes de sobra num espetáculo que contou com uma muito boa afluência de público, reivindicando a importância do Campo Pequeno no panorama taurino nacional. O público atendeu à chamada e “esteve com o Campo Pequeno”.

O cartel da corrida foi composto pelas três mais antigas dinastias do toureio a cavalo: Telles, Salgueiro e Brito Paes. Pegaram os Forcados Amadores de Montemor e Lisboa e foram lidados seis toiros da Ganadaria Dr. António Raúl Brito Paes.

Os toiros da Ganadaria Dr. António Raúl Brito Paes estavam irrepreensíveis de apresentação, com trapio condizente com a grandiosidade da primeira praça do país. Quanto ao comportamento, na generalidade deixaram-se lidar, destacando-se positivamente o terceiro e sexto da ordem, dois toiros colaborantes, a perseguir com nobreza as montadas. O primeiro foi nobre, faltando-lhe transmissão e alguma mobilidade. O segundo foi o mais complicado do curro, um manso encastado. Os que fizeram quarto e quinto cumpriram e não complicaram.

Após as cortesias teve lugar a cerimónia de alternativa de Joaquim Brito Paes. Foi apadrinhado por seu irmão António Maria Brito Paes, após António Ribeiro Telles lhe ter cedido o ferro. Momento emocionante e no qual o Campo Pequeno rompeu na primeira grande ovação da noite. Visivelmente emocionado, e depois de brindar ao seu pai e seu irmão, deu início uma atuação de nota bastante positiva. Deixou dois bons compridos, bastante bem rematados. Nos curtos, esteve valente e realizou uma lide da qual o destaque mais positivo foram três grandes ferros ao quiebro. O primeiro ferro curto é de nota elevadíssima. Campo Pequeno em pé e música a tocar! Alternou grandes ferros com uma ou outra passagem em falso, compreensível pelo nervosismo que a data de alternativa acarreta.

António Ribeiro Telles, que regressou ao Campo Pequeno após a colhida sofrida em Reguengos na Temporada 2021, comemorou nesta noite 39 anos de alternativa, tirada precisamente no Campo Pequeno, apadrinhado por seu pai Mestre David Ribeiro Telles. Tocou-lhe em sorte o toiro mais complicado da corrida, mas António Telles deu-lhe a volta e realizou uma lide que levantou o público dos assentos. Deixou três ferros compridos, com destaque para o último, em terrenos de muito compromisso. Nos curtos, António transpirou classicismo pela arena do Campo Pequeno. Deixou uma série de curtos apenas ao alcance dos predestinados. O segundo curto, de praça a praça, com o toiro a sair solto foi de antologia. Esteve bem a bregar e a cravar, realizando uma faena que tapou na sua maioria os defeitos do toiro.

João Salgueiro lidou o terceiro da ordem, um toiro mais colaborante que os anteriores. Esteve bem na sua função, realizando uma lide marcada por abordagens de frente, como é marca da casa. Deixou dois ferros compridos, sendo o segundo de nota elevada, com pronunciada batida ao pitón contrário. Poderia ter escutado música. Nos curtos esteve correto, realizando uma lide que agradou ao público do Campo Pequeno, que não regateou aplausos ao génio do toureio a cavalo.

Transposto o equador do festejo, entrou em praça António Brito Paes para dar lide ao quarto. Realizou uma atuação regular, mas que acabou por não romper. Deixou com correção a ferragem da ordem.

João Salgueiro da Costa esteve em bom plano e realizou uma lide na qual procurou levar emoção às bancadas. Após deixar dois bons ferros compridos, partiu para uma série de curtos dando distância ao toiro, cravando com verdade. No primeiro curto, sofreu um toque na montada e o segundo resultou pouco cingido, mas a atuação veio a mais e seguiram-se ferros de nota elevada. Passagem positiva de João Salgueiro da Costa pelo Campo Pequeno.

Para lidar o último toiro da noite, que se viria a revelar o de melhor comportamento do curro, entrou em praça o cavaleiro praticante António Ribeiro Telles filho, que se apresentava pela primeira vez no Campo Pequeno. Fez tudo bem feito do princípio ao fim da faena. Teve o público consigo durante toda a atuação e realizou uma faena verdadeiramente triunfal. Deixou uma série de curtos em crescendo, terminando com aquele que foi talvez o ferro da corrida. Entrou pelo toiro dentro largando as rédeas no momento da reunião, levando o público do Campo Pequeno a levantar-se dos assentos. Grande atuação.

No capítulo das jaquetas de ramagens estiveram em praça os Forcados Amadores de Montemor e Lisboa.

O grupo alentejano, de Montemor, teve uma noite redonda, com três boas pegas ao primeiro intento, por intermédio de Vasco Carolino, Vasco Ponce e José Maria Vacas de Carvalho. Três boas pegas com o grupo a ajudar sempre de forma coesa.

Os Amadores de Lisboa tiveram também uma noite positiva na arena da capital. Abriu a atuação Nuno Fitas, que realizou uma boa pega com viagem longa até às tábuas. Daniel Batalha realizou a pega da noite. Aguentou uma viagem longa, com o toiro a fugir ao grupo. Deu duas voltas à arena acompanhado, na segunda, do primeiro-ajuda. Fechou a noite Duarte Mira que concretizou à quinta tentativa.

A corrida foi dirigira por Lara Gregório de Oliveira, assessorada pelo médico-veterinário Dr. Jorge Moreira da Silva e pelo cornetim José Henriques.

Artigos Similares

Destaques