Nuno Casquinha diz: “Foi uma rescisão de mútuo acordo”

O matador, Nuno Casquinha, conta à Tauronews porque rompeu com o seu apoderado António Pucho. Actualmente, ainda não tem apoderado, mas está à espera de encontrar um que o ajude na sua carreira profissional. 

Nuno Casquinha rompeu com o seu apoderado António Pucho e, neste momento, ainda não tem outro apoderado. A Tauronews quis perceber o que aconteceu e esteve à conversa com o matador que nos revelou o que o levou a tomar tal decisão. “A razão que me levou a tomar a decisão de romper com o meu apoderado foi, sobretudo, porque desde Agosto, do ano passado, quando de começou a ajudar, tudo o que foi prometido e planeado da sua parte, não se concretizou”, releva Nuno.

O matador agradece “imenso a sua boa vontade, mas considero esta temporada muito importante para a minha carreira e, por isso, mesmo, preferi dar este passo, com a esperança de que possa aparecer algum outro apoderado interessado em ajudar-me”, avança.

Esta decisão “foi uma rescisão de mútuo acordo e de forma totalmente amigável. A amizade continua entre nós, mas agora profissionalmente por caminhos separados”, realça o toureiro. Neste momento “ainda não tenho novo apoderado, mas conto com a ajuda de alguns amigos taurinos. Um dos quais tem-me conseguido numerosos tentaderos, onde tenho participado, em Espanha”.

Nuno vai estar presente no Festival de Beneficência de Sobral de Monte Agraço, a 25 de Abril. Desta forma a “preparação para a nova temporada tem sido fantástica. Levo já cerca de 80 vacas toureadas este inverno. Nunca tinha feito tantos tentaderos. Mas mais importante que isso, tem sido a evolução que tenho sentido no meu toureio. Aproveito também para agradecer a todos os ganaderos que tão gentilmente me têm convidado para tentar em suas casas”, finaliza.

Artigos Similares

Destaques