Marcelo Mendes e forcados do Cartaxo aproveitaram oportunidade na Capital do Toureio a Cavalo

Crónica

Cartel de oportunidade – Campo Pequeno, 21 de Junho de 2018

 

6 Cavaleiros:

Marco José

Gilberto Filipe

Gonçalo Fernandes

Marcelo Mendes

Parreirita Cigano

Verónica Cabaço

3 Grupos de Forcados:

G.F.A. Coimbra

G.F.A. Monsaraz

G.F.A. Cartaxo

6 Toiros:

Veiga Teixeira

 

A empresa do Campo Pequeno decidiu este ano apostar numa corrida extraordinária de oportunidade a cavaleiros e grupos de forcados, com preços especiais, onde o anunciado curro da ganadaria Veiga Teixeira se apresentava como atrativo principal.

A aposta da empresa não teve a resposta desejada por parte dos aficionados, pois o Campo Pequeno registou apenas 1/3 da lotação, notando-se a presença de alguns turistas a compor a fraca assistência.

Abriu praça o cavaleiro Gonçalo Fernandes, em noite de confirmação de alternativa. Mostrou vontade, recebendo o Veiga Teixeira à porta dos curros com valor, numa atitude esperada para uma noite de oportunidade. O cavaleiro de Seia, conseguiu realizar uma lide regular frente a um toiro com 520kg, bem apresentado e bravo de verdade. Três ferros compridos, com o toiro sempre a perseguir a montada, com investidas alegres de bravo. Esteve regular nos curtos, numa lide correta e em bom plano para um cavaleiro com tão poucas atuações.

Marco José teve pela frente o toiro menos colaborante e que mais procurou tábuas. Toiro veleto com 550kg a que Marco José deu uma lide regular, sem empolgar nem arriscar o suficiente para o que deveria ser uma corrida desta importância.

Gilberto Filipe, o cavaleiro que foi recentemente campeão do mundo de equitação de trabalho, mostrou que tem boas montadas e uma equitação de qualidade. A lide foi bem conseguida, com ferros a quartear e a cravar no sítio, mas não rompeu. Faltou ao cavaleiro correr maiores riscos e tentar ferros com maior emoção.

A 2ª parte da corrida começou com o maior toiro enviado da Herdade do Pedrógão. Marcelo Mendes teve pela frente um toiro negro de 590kg que saiu algo desinteressado, mas que se revelou depois muito bravo. A perseguir o cavalo com emoção, dando-lhe Marcelo Mendes uma lide ligada em que manteve o público interessado de início ao fim. Três ferros compridos com valor, seguidos de um primeiro curto com muita emoção que lhe deu direito a música. A lide manteve-se em muito bom nível, com um toiro que parecia não ter fim, sempre disponível para investir. Terminou trazendo à arena o seu cavalo Único, companheiro de outros tempos, para cravar um ferro de palmo e terminar a lide sob fortes aplausos.

O penúltimo toiro também foi bravo. Pesava 520kg, foi menos nobre e mais encastado que os seus irmãos de camada, mas o cavaleiro Parreirita Cigano não lhe conseguiu dar a volta, tendo uma passagem por Lisboa que não deixa boas recordações, um ano depois de uma grande noite de alternativa com esta mesma ganadaria.

Para terminar a noite, entrou em praça a cavaleira praticante Verónica Cabaço. Desafio dos grandes para uma toureira praticante, ainda com poucas atuações com a exigência da 1ª praça do país frente a uma ganadaria de respeito, encastada e a apertar. Andou regular, conseguindo cumprir a sua função sem deslumbrar frente a mais um toiro exigente com muito boas condições de lide, que acusou na balança o peso de 558kg.

Para as pegas, três grupos de forcados que também necessitam aproveitar estas oportunidades em Lisboa para se mostrar e dar a conhecer.

As coisas não correram bem ao grupo mais velho em praça. Os Amadores de Coimbra pegaram os seus toiros à 2ª e 3ª tentativas.

O primeiro foi pegado pelo caras Ricardo Matos que na sua primeira caiu ao recuar e se fechou à 2ª tentativa, já com o toiro a custar a arrancar, mas a empurrar até tábuas quando finalmente saiu para o forcado.  

Para fechar a atuação de Coimbra foi à cara o cabo Pedro Silva. Na 1ª tentativa o toiro arrancou para o forcado com pata, reuniu com um piton entre as pernas e saiu no primeiro derrote. O toiro chegou á pega com poder e a por mudanças, dando uma 2ª tentativa emocionante. No final da viagem o forcado ficou agarrado mas fora da cara. Depois de alguns momentos de indecisão, em que parecia que a pega estaria dada como consumada, houve, em boa hora, uma conversa entre o diretor de corrida Manuel Gama e o cabo do grupo, que resultou no regresso dos forcados à arena para repetir a pega. O toiro foi pegado à 3ª tentativa com as ajudas já carregadas, depois de desfazer 2 vezes a pega.

Os Amadores de Monsaraz também não conseguiram aproveitar da melhor forma a noite de oportunidade.

O primeiro toiro, o menos bravo e que mais se defendeu na lide, também não se revelou fácil na pega. Custou a arrancar para o forcado Carlos Polmes, que teve que desfazer a pega várias vezes. Na 1ª tentativa o toiro passou-lhe ao lado na reunião, na 2ª faltaram ajudas e saiu nas tábuas e acabou a pegar à 3ª tentativa com ajudas carregadas.

Para o último de Monsaraz foi escolhido o forcado André Mendes. Na 1ª tentativa o forcado esteve perto de aguentar 2 violentíssimos derrotes, mas acabou por sair antes de entrarem os ajudas. Acabou por pegar também à 3ª tentativa com ajudas carregadas.

Numa corrida de “oportunidade” foram os forcados do Cartaxo a destacar-se. Duas boas pegas à 1ª tentativa, com os forcados da cara Bernardo Campino e Fábio Beijinho a mostrarem segurança no cite, mandando na investida dos toiros e conseguindo boas reuniões. Os ajudas estiveram à altura, com destaque para a primeira ajuda dada ao último toiro da noite, que valeu chamada à praça.

Numa data em que a empresa do Campo Pequeno apostou na oportunidade a cavaleiros e forcados menos rodados, Marcelo Mendes e o Grupo de Forcados Amadores do Cartaxo foram o exemplo do que se pedia.

Marcelo teve uma lide impactante, com risco, que lhe pode valer frutos no resto da temporada. Os forcados do Cartaxo mostraram também muita segurança e presença em praça, destacando ainda o bonito brinde ao ganadeiro na última pega.

O atrativo principal da corrida era o curro enviado por António Veiga Teixeira. O plano ganadeiro resultou num sucesso, com toiros bravos, com transmissão e encastados.

Curro de toiros que merecia ter sido visto por mais público, numa noite bem quente na capital do toureio a cavalo.

Ultimos Artigos

Artigos relacionados