GFA Ramo Grande fora das Festas da Praia

Foi anunciado por estes dias, numa pequena cerimónia, o cartel que compõe a corrida de toiros das Festas da Praia.

Contando com a presença dos cavaleiros João Salgueiro, Tiago Pamplona, João Pamplona e João Salgueiro da Costa, as pegas ficarão a cargo dos grupos de forcados amadores da Tertúlia Tauromáquica Terceirense e de Turlock.

Naturalmente levantaram-se questões sobre a ausência do GFA Ramo Grande, grupo da terra, nas celebrações.

Foi por isso, e com o objetivo de esclarecer os aficionados, que o GFA Ramo Grande, representado pelo seu cabo Manuel Pires, emitiu um comunicado sobre a situação – que transcrevemos abaixo na íntegra.

Comunicado

Após a apresentação da Corrida de Toiros das Festas da Praia 2022, e por via dos diversos contactos que temos recebido, o Grupo de Forcados Amadores do Ramo Grande vem esclarecer o seguinte:
1. O GFARG, em janeiro de 2022, foi informado pelo atual executivo municipal da Praia da Vitória que, a partir de 2022, passaria o município da Praia a ser a entidade organizadora da Corrida de Toiros das Festas da Praia, propondo ao GFARG, que aceitou, o apoio na organização;
2. Neste seguimento, o GFARG contactou com todas as ganadarias da Terceira aptas, chegando à conclusão, em concordância com os próprios ganaderos, que este ano não estavam reunidas as condições em termos de idade (Ganadaria José Albino) e número de toiros disponíveis (apenas dois disponíveis da Ganadaria João Gaspar), com exceção de uma ganadaria local com quem se acordou;
3. Para bem do espetáculo, acordou-se com as ganadarias, que seriam contactadas no ano seguinte, e propôs-se à Entidade Organizadora das Festas da Praia que a corrida deveria ser composta por uma ganadaria Terceirense e uma continental;
4. Por sua iniciativa e depois do contacto do GFARG com os ganaderos da ilha Terceira, o executivo municipal da Praia da Vitória estabeleceu contacto com os mesmos ganaderos e informou posteriormente o GFARG que tinha a informação que existiam na Terceira toiros suficientes para ir à Corrida, com idades entre os 2 e os 5 anos – demonstrando total desconhecimento e ignorância na matéria quanto à idade dos toiros para ir à Praça;
5. Também este ano, ao contrário dos últimos 14 anos, por falta de orçamento para a realização da Corrida e por uma questão de igualdade com o grupo de forcados da Tertúlia Tauromáquica Terceirense, o executivo municipal da Praia da Vitória propôs ao GFARG que metade do pagamento do cachê seria pago através do orçamento da corrida e a outra metade através do Regulamento Cooperar e Desenvolver;
6. No contexto da organização da corrida e em reunião, o GFARG foi confrontado pela vereadora do executivo municipal da Praia da Vitória referindo-se repetidamente aos forcados em geral, e ao grupo em particular, como “mafiosos da tauromaquia”.
Sendo assim, ao contrário do que foi dito na apresentação da Corrida pela Presidente da Entidade Organizadora da Corrida de Toiros das Festas da Praia:
1. É falso que na corrida proposta pelo GFARG só participassem ganadarias do continente. Cumpre esclarecer que, estavam previstos três toiros da ganadaria Rego Botelho e três toiros de uma ganadaria continental;
2. É falso que o GFARG não participa na corrida por falta de acordo com a Entidade Organizadora. Cumpre esclarecer que foi o GFARG que não aceitou colaborar com o atual executivo municipal da Praia da Vitória na Corrida 2022, porque não aceita ser colaborante com quem, nada percebe mas tudo quer decidir, não se revendo o GFARG no tipo de linguagem pouco nobre e nada abonatória a favor da tauromaquia, nem tão pouco pactua com a transgressão dos apoios públicos definidos em Regulamento próprio e com Júri autónomo, agindo o executivo municipal da Praia da Vitória em desconformidade com a lei, propondo que o GFARG atuasse no mesmo âmbito de transgressão;
3. Não pode o GFARG compactuar com o atual executivo municipal que com este tipo de comportamentos e atitudes, em nada dignifica esta cidade e ilha, enquanto autarquia fundadora da Associação de Municípios com Atividade Tauromáquica.

Numa época onde o município da Praia da Vitória apregoa sistematicamente falta de dinheiro, a Corrida das Festas da Praia 2022, em comparação com o ano anterior, possui um orçamento superior em 33% com consequente aumento de 15% no preço dos bilhetes, em claro prejuízo para os aficionados e deste grupo de forcados, que vê assim interrompido 14 anos consecutivos a pegar toiros nas Festas da sua terra e assistir a um importante corte nos apoios públicos municipais de atividade taurina, essenciais para continuar a pegar toiros em importantes praças do país para os quais estão convidados e nas quais desde 2007 têm sido bem sucedidos individual e coletivamente, a bem da cidade da Praia da Vitória, da ilha Terceira e dos Açores.
Por via desta atuação do executivo municipal, o GFARG informa todos os aficionados locais e emigrantes que irá organizar uma corrida de toiros em julho de 2022, estando já o cartel fechado e onde participarão os dois grupos de forcados da Terceira.

O cabo do Grupo
Manuel Pires

Ultimos Artigos

Artigos relacionados