Em Elvas foi escrita história: Moura Jr. e Bastinhas a ombros diante do clamor popular 

Crónica

O que se viveu ontem em Elvas foi e é o triunfo da Festa, o triunfo de todos! Ganaderos, Cavaleiros, Forcados e Aficionados, todos os que tivemos o prazer e a graça de viver o acontecimento de 18 de Setembro do ano 21 irão guardar para todo o sempre esta noite de toiros. Foi escrita uma página grande da tauromaquia.

Os astros parece que se conjugaram, e dos campos vieram seis bravos, sim seis toiros bravos, de três ganadarias distintas… Veiga Teixeira, Murteira Grave e Romão Tenório. Quatro vezes foi mostrado o lenço azul para premiar a bravura dos toiros lidados, O segundo e terceiro de Murteira Grave, o quarto de Teixeira, o quinto de Romão Tenório, mas se tivesse saído o lenço no primeiro de Teixeira e no sexto de Romão Tenório nenhum mal teria vindo ao mundo… No fim da corrida foi bonito ver entrar na arena os amos dos seis bravos lidados nesta noite, abraçados e todos a comungar de um mesmo lema…Felizes por serem criadores desse genial animal que é o Toiro Bravo!

Bonito também foi ver os dois grupos, Évora e Elvas no fim da corrida, ovacionados pelos presentes que enchiam o Coliseu Elvense, por mostrarem a alma portuguesa nesta nobre arte de pegar toiros.

A História também foi escrita ao serem sacados aos ombros João Moura Jr e Marcos Bastinhas pelas grandes lides realizadas na arena de Elvas.

Emocionante, foi assistir ao brinde de Marcos ao João Moura pai e filho com um praça de pé rendida e comovida … Empolgante, foi ver a pega ao terceiro toiro de Manuel Rovisco do Amadores de Évora. Genial, foi ver a Mourina que o João Moura Jr. cravou no terceiro toiro, um bravo toiro de Galeana e aquele remate…. Histórico! Sensacional, foi ver o Marcos cravar de praça a praça, dando vantagens aos toiros, para no centro da arena de alto a baixo.

Notável, foi ver a grandeza de um público que encheu a praça desfrutar desta noite histórica… Ontem vi bandarilheiros a tourear de capote, e sonharem com grandes palcos vestidos de ouro. Olé!

A Festa dos Toiros ontem saiu pelas ruas de Elvas a dizer que somos únicos, diferentes e acima de tudo livres de poder desfrutar do que gostamos e do que nos dá real gana… Ontem saímos da praça contentes, com vontade de voltar, com vontade de conviver e “cantar”, dizendo que a Festa por mais mil anos que passem com noites assim nunca acabará.

Que dizer mais desta corrida… Foram lidados seis bravos toiros, bonitos de lâmina e de comportamento notável de Veiga Teixeira (1º e 4º), Murteira Grave (2º e 3ª) e Romão Tenório (5ªe 6ª).

João Moura Jr. e Marcos Bastinhas num mano a mano foram os protagonistas de uma noite histórica. Falar de uma lide, de um ferro, de um recorte, de uma brega, de um brinde é quase banal neste meu escrito. A noite foi completa e redonda para ambos, Triunfador houve? Obviamente que sim, todos aqueles actuaram na arena e todos os que podemos viver esta noite de toiros. Obrigado!

Corrida de grandes pegas! O João Madeira forcado talhado em mil batalhas nisto dos toiros pegou de forma brilhante o primeiro da corrida pelo grupo da cidade museu. Manuel Rovisco à segunda tentativa fez um pegão que irá entrar certamente naquele “pavilhão” das pegas da temporada. António Prazeres pode vir a ser um caso… Nasceu forcado.. Grande pega à primeira tentativa, O grupo esteve coeso a ajudar e Manuel Rovisco e José Maria Caeiro brilhantes a rabejar.

Pelos Académicos de Elvas Paulo Mauricio, numa boa pega à primeira tentativa pegou o bonito burraco que saiu em segundo. Roberto Ameixa bateu as palmas ao Teixeira que fez quarto e saiu maltratado, saltou o valente António Machado que com alma dobrou o companheiro de grupo e resolveu à primeira tentativa. Fechou a noite com chave de ouro Eduardo Belfo numa boa pega à primeira tentativa. O grupo ajudou como mandam as regras e triunfou na primeira de feira, da cidade raiana.

Dirigiu a corrida Agostinho Borges que mostrou o bom aficionado que é, assessorado pelo médico veterinário José Guerra.

 

Ultimos Artigos

Artigos relacionados