Cresce a incerteza sobre Sevilha: “As Praças de 3ª podem funcionar com menos de 50% de lotação, Sevilha não!”

Ramón Valencia, insiste no seu pedido de 50% da capacidade de lotação da praça e a Junta de Andalucía recorda: “Hoje o actual quadro regulamentar é o que é e não podemos prever o que vai acontecer no dia 18 de abril”. Mesmo assim, a empresa irá pôr à venda as entradas para as corridas na próxima segunda-feira.

 

A Real Maestranza de Sevilla apresentou esta quarta-feira o cartaz da temporada 2021, obra criada por Julian Schnabel. O acto foi presidido pelo Tenente e Irmão Maior da nobre entidade, Santiago de León Domecq, que estava acompanhado pelo Secretário de Emergências e Interior da Junta de Andalucía, Miguel Briones, e pelo empresário Ramón Valencia, gerente da empresa Pagés que gere a Plaza de Toros de la Real Maestranza de Sevilha.

 

Sobre a celebração da temporada de 2021 em Sevilha, Miguel Briones afirmou que “será a evolução da pandemia que determinará quando, e como viveremos os toiros na cidade de Sevilha e no resto do território andaluz”, prometendo apoio da administração desde a proteção primária da saúde.

Para além do caso específico da Plaza de Sevilla, Briones insistiu que só havia uma condição para autorizar a celebração das festividades: a evolução da própria pandemia.

“Hoje o atual quadro regulatório é o que é; neste momento não podemos antecipar o que vai acontecer no dia 18 de abril – data marcada para o início da temporada sevilhana – embora o nosso desejo seja alcançar um cenário mais otimista”, disse.

 

O Secretário-Geral para as Emergências e Interior reconheceu “o esforço” da empresa, mas referiu que hoje não se pode pronunciar sobre a modificação do regulamento em vigor.

 

O empresário Ramón Valencia indicou que pediu à Junta de Andalucía que se pudesse abrir a praça a 50% da sua capacidade e recordou as várias reuniões realizadas com as autoridades sanitárias e a presidência na Junta de Andalucía, especificando que “foram muito receptivos ao assunto”. “.

 

Sobre este assunto Ramon Valencia disse: “Las plazas de tercera pueden funcionar con menos del 50 %, pero en Sevilla no es lo mismo. En Sevilla ese aspecto del porcentaje mínimo de aforo es innegociable. Aun así, siempre hemos pensado que se podrán celebrar corridas en abril. Somos conscientes de que hasta después de Semana Santa no sabremos qué parámetros podremos barajar, pero sigo confiado. Se ha levantado el ERTE de todos los empleados y venderemos entradas el lunes. Hemos hecho un plan de contingencia que presentaremos el día 6 de abril. Estoy dispuesto a esperar hasta cinco días antes del 18 de abril para dar toros. Con cinco días podemos poner en marcha los festejos”.

A possibilidade de celebrar a Feira tem um ponto sem volta, fixada nas datas imediatamente posteriores à Páscoa, pois será o momento em que a empresa Pagés apresentará à Junta de Andalucía um plano de contingência de saúde, que terá a última palavra sobre os números e dados fornecidos pela evolução da pandemia.

 

Ultimos Artigos

Artigos relacionados