Corrida agradável em tarde de vento

Crónica

Corrida agradável em tarde de vento

  • 14 de maio de 2022, Montijo
  • Cavaleiros: Luís Rouxinol, Marcos Bastinhas e Francisco Palha
  • Forcados: TT Montijo, Barrete Verde de Alcochete e Académicos de Coimbra
  • Ganadaria: Passanha
  • Direção João Cantinho assessorado pelo veterinário Carlos Santos
  • Praça a 1/2 de lotação

 

A Praça de Toiros Amadeu Augusto dos Santos, no Montijo, recebeu ontem, sábado, a Corrida da Flor em que os aficionados preencheram meia casa. Pablo Hermoso de Mendonza foi baixa para esta corrida, devido à lesão que sofreu nas costas enquanto treinava em sua casa, tendo sido substituído por Francisco Palha – indiscutível triunfador do Concurso de Ganadarias em Salvaterra de Magos.

Iniciou-se a corrida com 1 minuto de silêncio em memória do saudoso cavaleiro tauromáquico, José Samuel Lupi.

Foram lidados seis toiros da Ganadaria Passanha, muito bem apresentados e muito no tipo do encaste: Devolvido o primeiro, saiu o quarto, colaborante mas com pouca transmissão; Voluntarioso e codicioso o segundo, bom toiro!; ao terceiro, mais agarrado ao piso, faltou ritmo na investida; em quarto, foi lidado o colaborador sobrero; alto e humilhando pouco o quinto e finalmente o bravo sexto, o melhor da função, grande toiro!

Abriu a função Luís Rouxinol com uma lide que pautou pela regularidade em que a falta de trasmissão do oponente não ajudou naquela que foi a primeira passagem do cavaleiro de Pegões pela arena montijense. Pegou pelo GFA TT Montijo, Armando Costa à terceira tentativa.

Marcos Bastinhas lidou o segundo da ordem um toiro voluntarioso e codicioso, recebeu-o na porta dos sustos e lidou-o sempre com alegria, nota superior para o segundo comprido. Uma lide que chegou cedo ao público com os bons ferros que protagonizou, com cites de largo dando sempre vantagem ao oponente. Atribuição tardia de música. Pegou pelo GFA Barrete Verde de Alcochete, João Coimbra à primeira tentativa.

A Francisco Palha, que tinha a difícil tarefa de substituir o nome mais sonante do cartel, Pablo Hermoso de Mendonza, tocou-lhe um toiro agarrado ao piso, com falta de ritmo e transmissão nas investidas. Desenvolveu uma lide com dois bons compridos, nos curtos atingiu bons momentos, faltando toiro no momento da reunião. Pegou pelo GFA Académicos de Coimbra, Francisco Gonçalves à primeira tentativa, numa excelente pega.

Luís Rouxinol lidou o quarto da ordem, o sobrero, um toiro colaborador que permitiu uma boa lide do cavaleiro. Bonitos momentos de brega e bons ferros que culminaram com o momento mais alto da lide, um ferro aguentando a investida do toiro com Luís e o cavalo encostados às tábuas. Pegou pelo GFA TT do Montijo, Tiago Feitor à primeira tentativa.

Marcos Bastinhas voltou a entrar em praça para enfrentar um toiro menos colaborador, alto de agulhas e que não humilhava. Efetuou uma lide regular faltando também toiro no momento de cravar. Pegou pelo GFA Barrete Verde de Alcohcete, o cabo Marcelo Lóia à terceira tentativa.

Francisco Palha lidou o último da função, o mais bravo da corrida, um toiro de excelente apresentação que foi premiado com o seu regresso ao campo e ao qual seria merecida a ida do ganadero à praça. Com bonita brega, levando o toiro bem embebido na garupa do cavalo, Francisco Palha protagonizou grandes momentos de toureio, chegando com facilidade ao público. Pegou pelo GFA Académicos de Coimbra, João Tavares também ao primeiro intento.

 

Ultimos Artigos

Artigos relacionados