Casa cheia para festejar o centenário

Crónica

Praça de toiros da Chamusca, 3 de Agosto de 2019, 22h

Cavaleiros: João Moura, António Ribeiro Telles e Rui Salvador,

Forcados: Grupo de Forcados Amadores de Lisboa (cabo Pedro Maria Gomes), Grupo de Forcados Amadores da Chamusca (cabo Nuno Marecos) e Grupo de Forcados Amadores do Aposento da Chamusca (cabo Pedro Coelho dos Reis)

Ganadarias em concurso: Rosa Rodrigues, David Ribeiro Telles, Vale Sorraia, Manuel Veiga, Manuel A. Coimbra e Calejo Pires 

Entrada: casa cheia

O 1º toiro da corrida, da ganadaria Vale Sorraia, com o número do costado 100, nascido em Janeiro de 2015, pesou 475 kg, com boa cara, para o Maestro João Moura.

João Moura recebeu o toiro com maestria, após o segundo comprido trocou de montada e, com um sentido de lide e dos terrenos do toiro, deixou uma ferragem curta de boa nota com o público entusiasmado e animado pela música, rematou a lide com um ferro curto e rematando a sorte.

Para pegar o primeiro toiro da noite saltou à praça o forcado Tiago Silva do Grupo de Forcados dos Amadores de Lisboa. Tiago Silva com um cite bonito e calmo, o toiro arrancou pronto, o forcado aguentou quieto e recuou bem para uma boa reunião, com o grupo a ajudar bem e coeso, tendo consumado a pega à primeira tentativa.

O Maestro João Moura e o forcado Tiago Silva deram volta à praça.

O 2º toiro da corrida, da ganadaria Manuel Coimbra com o número 23 no costado, nascido em Janeiro de 2015, com 445 kg e boa cara, para o Maestro António Ribeiro Telles.

António Ribeiro Telles com a categoria e toreria que o caracteriza cravou um primeiro ferro comprido de boa colocação e um segundo de muito boa nota, tendo o público ovacionado a sorte. Já com nova montada o Maestro da Torrinha cravou, de frente e em terrenos de compromisso, dois muito bons ferros curtos e a música começou a tocar. Continuou a lide com o público entusiasmado e o cavaleiro a gosto, para de seguida deixar um quarto ferro curto de altíssima nota, recebendo forte ovação do público. 

Para a cara do segundo toiro da noite, saltou à praça o forcado Miguel Santos dos Amadores da Chamusca. O toiro arrancou pronto e com pata, Miguel Santos esteve bem e com uma boa reunião e o grupo a ajudar coeso, pegou à primeira tentativa. 

António Ribeiro Telles e Miguel Santos deram volta à praça.

O 3º toiro da noite, da ganadaria Manuel Veiga, pesou 530 kg, para o Maestro Rui Salvador.

Rui Salvador, após uma ovação do público, iniciou a lide com dois ferros compridos, onde se destacou o segundo. Após o primeiro ferro curto trocou de montada. Na ferragem curta, e com o toiro reservado e a colaborar pouco, destacou-se o terceiro ferro curto que mereceu ovação e música. O Maestro Rui Salvador rematou a lide com um ferro a sesgo com o toiro a dificultar a lide.     

Para a cara do terceiro toiro da noite saltou à praça o forcado Francisco Montoya do Aposento da Chamusca. Com um cite correcto e dando vantagens ao toiro, entrou em terrenos de compromisso e provocou a investida do toiro e, a mandar, recuou com técnica, com uma boa reunião e o grupo a ajudar coeso, com uma eficiente primeira ajuda do cabo Pedro Coelho dos Reis, consumou a pega ao primeiro intento. 

O cavaleiro Rui Salvador e o forcado Francisco Montoya deram volta à praça.

O 4º toiro da corrida, da ganadaria Rosa Rodrigues, com o número do costado 44, nascido em Janeiro de 2015, pesou 475 kg, para o Maestro João Moura.

João Moura iniciou a lide com dois ferros compridos em bom sítio, trocou de montada e mantendo um sentido dos terrenos e das investidas do toiro deixou um primeiro ferro curto de altíssima nota que mereceu forte ovação do público. João Moura continua a lide levando e toureando bem o toiro, cravou mais dois ferros de frente e de boa nota, tendo rematado a lide com dois ferros de palmo.

Para pegar o quarto toiro da noite saltou à praça o forcado António Galamba do Grupo de Forcados dos Amadores de Lisboa. António Galamba citou de forma correcta tendo o toiro arrancado de largo, o forcado recuou bem e fechou-se com valentia, com o grupo a ajudar bem. O forcado esteve muito bem na cara do toiro tendo a pega sido concretizada à primeira tentativa.

O Maestro João Moura e o forcado António Galamba deram volta à praça.

O 5º toiro da corrida, da ganadaria Calejo Pires, com o número 127 no costado, nascido em Janeiro de 2016, com 530 kg, para o Maestro António Ribeiro Telles.

António Ribeiro Telles inicia a lide com dois compridos, tendo trocado de montada para a ferragem curta. O Maestro da Torrinha após um gesto bonito a Rui Salvador deixa, a um toiro que se revelou ao longo da lide reservado, dois bons ferros curtos e a música começa a tocar. O cavaleiro a tourear bem deixa um terceiro ferro curto de praça a praça, para de seguida deixar um quarto ferro curto em bom sítio recebendo ovação do público. 

Para a cara do quinto toiro da noite, saltou à praça o forcado Pedro Caldeira dos Amadores da Chamusca. O forcado com um cite calmo e a mostrar-se ao toiro provocou a investida mas saiu da cara após um derrote. Na segunda tentativa o toiro, com o forcado fechado, fugiu a grupo, tendo o Pedro Caldeira saído durante a viagem e ficado lesionado. De seguida o forcado Helder Delgado, com as ajudas mais carregadas e o toiro fechado em tábuas, e após desfazer a pega, efectuou mais duas tentativas sem sucesso e também saiu para a enfermaria. Para a quinta tentativa saltou à praça o cabo do grupo Nuno Marecos que a sesgo e o grupo a resolver concretizou a pega. 

O Maestro António Ribeiro Telles deu volta à praça.

O último toiro da noite, da ganadaria David Ribeiro Telles, com o número 31 de costado, nascido em Abril de 2015, pesou 495 kg, para o Maestro Rui Salvador.

Rui Salvador após a ferragem comprida trocou de montada para deixar um ferro curto de boa nota em terrenos de compromisso. Ainda na ferragem curta e com o toiro reservado e distraído destacou-se o terceiro ferro, de alta nota, que mereceu música. Rui Salvador numa lide com emoção mas com pouca colaboração do toiro, rematou com um quinto ferro curto.     

Para a cara do último da noite saltou à praça o forcado João Diogo do Aposento da Chamusca. Com um cite calmo e dando vantagens, o toiro arrancou a chouto, o forcado aguentou quieto, recuou e com o grupo a ajudar bem consumou a pega à primeira tentativa. 

O cavaleiro Rui Salvador, após forte insistência do público, e o forcado João Diogo deram volta à praça.

De realçar que ao intervalo foram homenageados o cavaleiro Rui Salvador pelos 35 anos de alternativa e aos dois grupos de forcados da Chamusca pela comemoração dos respetivos aniversários, não tendo a organização da corrida tido, lamentavelmente, esse apontamento ao Grupo de Lisboa pelos seus 75 anos. 

Corrida bem dirigida por Marco António Gomes.

O júri (composto por Vasco Lucas, Carlos Empis e António Poeira) atribuiu os seguintes prémios:

Melhor lide”: Maestro António Ribeiro Telles (no seu primeiro toiro).

Melhor Pega”: Francisco Montoya, do Aposento da Chamusca;

Melhor brega” ao bandarilheiro João Ribeiro “Curro“;

Os troféus do concurso de ganadarias foram atribuídos:

“Bravura”: Rosa Rodrigues;

“Apresentação”: Manuel Veiga.

Esta é a crónica de um aficionado.    

Ultimos Artigos

Artigos relacionados