Esse “OLÉ” que ainda ecoa…

Foi no quinto da noite… O ambiente já fervia e, de repente, o Génio fez uma passagem ao toiro, que carregava a favor de curros, que desatou o “OLÉ” mais profundo, alto e sentido que jamais ouvi numa Praça de Toiros! Exagero? É sempre ingrato o papel do cronista, tentando plasmar no papel as emoções…