Tarde de calor na 1ª corrida da Ascensão 2017

Cavaleiros; Rui Salvador, Tito Semedo, Ana Batista, António Brito Paes, David Gomes (praticante) Parreirita Cigano (praticante). Pegam os Forcados Amadores de Coruche (cabo José Tomás) e Amadores da Chamusca (cabo Nuno Marecos).

Seis toiros da Ganadaria São Torcato.

Director de corrida Lourenço Luzio e médico veterinário Dr. Luís da Cruz.

No que diz respeito ao público verificou-se uma entrada de meia casa, com os lugares de sombra preenchidos e os sectores de sol praticamente vazios. De realçar a muita juventude que estava nas bancadas.   

Tarde de calor, no segundo dia da “feira da ascensão 2017”. A corrida começou pelas 17h10, já com alguns assobios, tendo a organização informado que tal atraso teria em conta que alguma publicidade indicava que a corrida tinha início às 17h e outra pelas 17h30.     

Foi efectuado um minuto de silêncio em homenagem a António João, antigo elemento fundador do Grupo de forcados Amadores de Coruche, que tinha falecido nesta data.

O 1º toiro da tarde da ganadaria de São Torcato, com o número do costado 277, nascido em outubro de 2013, com 455 kg, calhou em sorte ao cavaleiro Rui Salvador, com a respectiva quadrilha Joao Pedro e Diogo Malafaia

Toiro de pelagem preta com pouco trapio e sem transmitir. Rui Salvador recebeu bem mas com pouca emoção, colocou-se praça a praça, dando vantagens e cravou o primeiro comprido que fica algo traseiro. O segundo comprido, dando largas vantagens, ficou em bom sitio, tendo recebido as primeiras palmas da tarde. Com a mesma montada coloca o primeiro ferro curto, com vantagens a favor da crença natural e coloca um bom ferro e o público empolgou-se.

De seguida trocou de cavalo e a música começou a tocar com a banda da S.F.I.R.C. Vitória -Carregueira que abrilhantou a corrida. Depois de um toque na garupa e de uma passagem em falso deixou o segundo curto. Os dois ferros seguintes, apesar do querer e garra de Rui Salvador, não deixaram história, tendo faltado toiro durante toda a lide.  

Para pegar este toiro saltou à praça o forcado Paulo Oliveira do Grupo de Coruche, que brindou ao céu. Com um cite correcto, provocou a investida e conseguiu uma boa reunião, tendo consomado a pega à primeira tentativa.   

O cavaleiro Rui Salvador e o forcado Paulo Oliveira deram volta à praça.

 

O 2º toiro da corrida (castanho de córnea aberta) da mesma ganadaria, com o número do costado 289, nascido em Janeiro de 2014, com 460 kg, para o cavaleiro Tito Semedo, com a respectiva quadrilha Nuno Gonçalves e André Rocha.

Tito Semedo recebeu o toiro à porta dos curros, tendo este investido com emoção e o cavaleiro cravou ferro comprido que ficou em bom sitio, tendo o público ficado empolgado. O segundo comprido de má colocação, mas rematando bem a sorte. Trocou de cavalo e deixou o primeiro ferro curto e a música começou a soar. O segundo comprido não deixou história, tendo trocado novamente de cavalo. Com a nova montada, e em curto, cravou o terceiro ferro. De boa nota o quarto ferro recebendo ovação do público. Pediu mais um ferro, o primeiro colocou de violino, seguido de um ferro de palmo de boa nota. Recebendo a maior ovação da tarde até ao momento.  

Para a cara do segundo toiro da tarde, saltou à praça um dos grupos da terra, Amadores de Chamusca e para a cara foi o forcado Rui Pedro que brindou ao grupo de Coruche. Citou de largo, dando vantagens ao oponente. O toiro saiu a passo sem transmitir, mas com uma reunião pouco conseguida o forcado acabou por não ficar na cara do toiro. Na segunda tentativa, já recebeu melhor, mas o grupo pouco ágil a ajudar deixou o forcado sair da cara do toiro. Com ajudas mais carregadas nas terceira e quarta tentativas, com reuniões defeituosas recebeu mal o toiro. Ao quinto intento e já a sesgo com as ajudas carregadas a pega foi consumada.

O cavaleiro Tito Semedo deu a volta sozinho, tendo o forcado Rui Pedro recusado dar a volta.      

 

O 3º toiro da tarde da mesma ganadaria, de pelagem preta, com o número do costado 279, nascido em Outubro de 2013, pesou 465 kg, para a cavaleira Ana Baptista, com a respectiva quadrilha Filipe Gravito e Pedro Vicente

Ana Batista brindou a sua lide ao cavaleiro António Ribeiro Teles que se encontrava na bancada, tendo o público aplaudido o gesto da cavaleira. A cavaleira montando com serenidade e classe deixou um bom ferro comprido que ficou em bom sitio e um segundo ferro comprido bem colocado, recebendo ovação do público.

Trocou de montada e deixou um bom ferro curto após uma passagem em falso. Sentia-se que a cavaleira estava a gosto, dando vantagens e montando com temple cravou um muito bom segundo ferro curto tendo recebido a merecida música. O público animado com a lide aplaudia a cavaleira. O terceiro curto, que tocou noutra bandarilha caiu e a cavaleira sofreu um toque na montada. Já o quarto ferro foi de muito boa nota e ficou cravado em bom sitio. Rematou a lide com um quinto ferro curto, tendo aberto o quarteio e deixado um bom ferro. Apesar do toiro não facilitar, a cavaleira estava a gosto e com toreria, pediu mais um ferro que foi concedido e rematou com outro bom ferro, tendo recebido ovação do público.       

Para a cara do terceiro toiro da tarde saltou à praça o forcado José Sousa dos Amadores de Coruche, que citou com alguma falta de quietude e na sequência de uma reunião pouco conseguida não ficou na cara do toiro. Na segunda tentativa o toiro arrancou com “muita pata”, o forcado recebeu bem o toiro que entrou pelo grupo com as terceiras ajudas eficazes e a fecharem correctamente, tendo concretizado um boa pega com o público a bater palmas de pé.

A cavaleira Ana Batista e o forcado José Sousa deram merecida volta à arena com o público entusiasmado e de pé. O forcado, a pedido do público, recebeu ovação nos tércios.  

 

O 4º toiro da tarde (de pelagem preta) da ganadaria de São Torcato, com o número do costado 265, nascido em Março de 2013, com 430 kg, para o cavaleiro António Brito Paes, com a respectiva quadrilha Luis Brito Paes e Joao Mourão.

O cavaleiro António Brito Paes brindou a lide ao público. Recebeu bem o toiro com classe e mostrando boa equitação, tendo deixado um bom ferro comprido. O segundo comprido de muito boa nota e com colocação correcta. Trocou de cavalo e com bom sentido de lide e após uma passagem de elevada nota, sem intensão de cravar, deixou um bom ferro curto. No segundo curto deu vantagens ao toiro e cravou com rigor, tendo o público reagido com ovação. Já com música concedida, e merecida, deixou um bom terceiro ferro de boa colocação. Com sentido de lide e uma excelente equitação e a culminar uma lide conseguida, deixou mais um bom ferro curto e recebeu ovação do público.

Para a cara deste 4º toiro da tarde saltou à praça o forcado Bernardo Borges, envergando a jaqueta dos Amadores da Chamusca, tendo brindado a um antigo cabo do seu grupo que se encontrava na bancada. Com um cite correcto, provocou a investida do toiro e com uma boa reunião, aguentando um derrote e bem ajudado pelo grupo, consumou a pega à primeira tentativa.

Cavaleiro António Brito Paes e o forcado Bernardo Borges deram merecida volta com o público de pé.    

   

O 5º toiro da tarde, de pelagem castanha, da mesma ganadaria, com o número do costado 261, nascido em Maio de 2013, pesou 435 kg, para o cavaleiro praticante David Gomes, com a respectiva quadrilha Pedro Paulino e Joao Martins.

O cavaleiro praticante brindou a sua lide ao cavaleiro Rui Fernandes que se encontrava na trincheira. Acusando o início de temporada cravou o primeiro comprido em posição traseira e o segundo descaído. De seguida trocou de cavalo.

Em crescendo e metido com o toiro, cravou o primeiro curto que ficou bem colocado, mas de pouca emoção. Cravou de seguida um segundo muito bom ferro curto, bem colocado que fez entoar a música.

Continuou a lide, levando o toiro muito bem na garupa do cavalo, para deixar, em terrenos de compromisso, um bom ferro de boa nota, que mereceu as palmas do público.

Trocou de cavalo e entrou em praça para colocar um par de bandarilhas. Após duas passagens em falso, cravou um bom par de bandarilhas de nota alta, tendo recebido palmas de um púbico entusiasmado.

Para pegar o 5º toiro saltou à praça o forcado com a jaqueta do Grupo de Coruche, Vitor Cardante, que a citar de forma correcta e mantendo a quietude, a curto, permitiu a investida do toiro e com uma boa reunião fechou-se com determinação e com o grupo a ajudar, com o toiro a empregar-se, consumou a pega à primeira tentativa.  

Deram volta o cavaleiro David Gomes e o forcado Vitor Cardante com o público animado. Também o ganadero e o maioral foram chamados à praça e deram volta com os toureiros, o que dividiu opiniões tendo em conta o curro desigual em apresentação e comportamento.  

 

O 6º toiro da tarde (de pelagem preta e com pouca cara) da ganadaria de São Torcato, com o número do costado 258, nascido em Janeiro de 2013, pesou 440 kg, para o cavaleiro praticante Parreirita Cigano, com a quadrilha Joaquim Almeida e Joao Oliveira.

Parreirita Cigano brindou a sua lide ao Padre Vitor Melícias que se encontrava na bancada.

Recebeu o toiro e cravou um primeiro ferro comprido que ficou traseiro. Esteve melhor no segundo ferro comprido, apesar de velocidade a mais no desenho da sorte. Verificou-se alguma desatenção da respectiva quadrilha.

Já com nova montada, cravou um bom primeiro ferro curto que fez entoar a música, pena ter ficado algo traseiro.

Ao som da música, dando vantagens ao oponente, deixou um bom segundo ferro curto.  

Após receber um toque na montada ao cravar o terceiro curto, cravou com muita atitude e emoção um bom quarto ferro curto, de nota alta, tendo recebido uma forte ovação.

Com nova montada, rematou a lide cravando outro ferro de alta nota, que entusiasmou os tendidos.  

Para a cara do último toiro da corrida, saltou à praça o forcado João Oliveira dos Amadores da Chamusca, que brindou ao público. O toiro investe com bastante prontidão e com a cara em baixo a humilhar, o forcado não conseguiu receber o toiro de forma a fechar-se e não ficou na cara. Na segunda tentativa, citou com calma, mas a investida humilhada e uma má reunião não permitiu a concretização da pega.

Na terceira tentativa com o toiro colocado nos tércios, o forcado recebeu o toiro tendo ficado de lado na cara do toiro e o grupo fechou bem, compondo o forcado. O cabo Nuno Marecos deu indicações para nova tentativa, uma vez que entendeu que a pega não tinha sido consumada. A pega acabou por ser concretizada à quarta tentativa com ajudas carregadas.

Parreirita Cigano deu volta sozinho, não tendo o forcado João Oliveira saído para a volta à praça.      

Pelas 20 horas e para encerrar o espectáculo, o prémio em disputa para o melhor Cavalo Lusitano em praça foi atribuído ao cavalo Evasivo, com o ferro José Carlos Gomes, da quadra do cavaleiro António Maria Brito Paes. O cavaleiro recebeu o prémio das mãos do Presidente da Câmara da Chamusca Dr. Paulo Queimado. Chamado à praça o cavalo premiado não pôde receber a merecida ovação, uma vez que já estava no camião a caminho de outras faenas.

 

Esta é a crónica de um aficionado.    

Artigos Similares

Destaques