Sanjoaninas encerram com boa prestação de cavaleiros e forcados

Os cavaleiros Filipe Gonçalves e João Pamplona deram voltas volta à arena após a lide de cada um dos toiros do seu lote. Salgueiro da Costa também esteve em destaque, mas por lesionar-se no tornozelo direito não conseguiu dar volta à arena. Os três grupos de forcados estiveram à altura do desafio com a execução de boas pegas.

As Sanjoaninas 2019 encerraram com uma Corrida à Portuguesa cheia de motivos de interesse, protoganizados por cavaleiros e forcados. Os pontos mais altos ocorreram na primeira parte da corrida, diante dos toiros de José Albino Fernandes que eram dotados de maior nobreza do que os exemplares de João Gaspar que tinham uma apresentação notável.

Filipe Gonçalves esteve mais luzido com o toiro que abriu praça, um exemplar de quatro anos que foi a mais e permitiu ao cavaleiro algarvio um toureio templado à garupa, assim como embroques e batidas com frontalidade e sem toques na montada. Perante o exigente quarto toiro da corrida, um caipirote em negro de João Gaspar, Gonçalves teve uma lide irregular ao inicio mas que no final chegou ao público, principalmente pelos adornos realizados com as suas montadas.

O açoriano João Pamplona foi ganhando fulgor consoante o avanço da lide do segundo toiro da ordem que também foi se centrando na lide. No final conseguiu uma lide destacada e muito do agrado do público. No quinto toiro, teve menos opções, no entanto, João Pamplona manteve a mesma ambição para ultrapassar as dificuldades.

O cavaleiro de dinastia Salgueiro da Costa teve pela frente os maiores toiros dos ferros açorianos que se lidaram na corrida. O terceiro, um de Albino Fernandes foi um toiro baixo e de grande mobilidade, ao que João Pamplona lhe empregou uma lide de garra, cravando a ferragem com muita qualidade numa montada de ferro Hermoso de Mendonza.

No seu primeiro toiro Salgueiro da Costa sofreu um toque forte no pé, pelo que na lide do seu segundo toiro o cavaleiro teve de lidar sem o estribo. Frente ao ultimo toiro da corrida, um toiro com impressionantes 588 kg que nunca se entregou, Salgueiro da Costa alargou os esforços para poder luzir-se  nos últimos encontros com o hastado.

Num dos grandes aliciantes da corrida estava a presença de três grupos de forcados. Tomás Ortins e Francisco Matos pegaram pela Tertúlia Tauromáquica Terceirense. André Lourenço dos amadores do Ramo Grande executou uma pega excelente e o luso americano Michael Lopes, dos forcados vindos dos EUA fez vibrar uma quantidade grande de emigrantes que estavam nas bancadas da praça.

Artigos Similares

Destaques