Rural Beja 2017: Entrevista a José Maria Charraz, Cabo dos Forcados Amadores de Beja

A Tauronews entrevistou José Maria Charraz, Cabo do Grupo de Forcados Amadores de Beja, sobre a edição deste ano da Rural Beja e agradecemos o convite endereçado pelo grupo para estarmos presentes no certame.

 

1. Qual o balanço que fazem da Rural Beja deste ano e como têm sentido o crescimento deste certame?

O balanço deste ano é bastante positivo, com maior número de expositores e com maior número de visitantes. Salientamos que fomos contactados por várias entidades que pretendiam ter um espaço (stand) na feira e, apesar de termos mais do que duplicado o número de stands face ao ano anterior, ainda assim não foi possível aceder a todos os pedidos, o que é revelador da notoriedade que a feira tem vindo a alcançar nos últimos anos. Temos já, inclusivamente, entidades que nos contactaram no sentido de reservar espaço para o próximo ano.

 

2. Ao convidarem várias instituições ligadas à tauromaquia para a Rural Beja, qual é o objectivo da sua presença?

Enquanto organização sempre primámos por ter a participação de várias entidades e organizações ligadas à festa brava, desde comunicação social, empresários, ganaderos, cavaleiros, grupos de forcados, emboladores, etc, possibilitando assim ao aficionado comum o contacto mais próximo com todas as actividades relacionadas com o toiro bravo que, estão muito para além das corridas de toiros formais.

 

3. Tendo em conta as recentes polémicas com a organização do festival a favor da CerciBeja, qual o balanço do festival deste ano?

A entidade mais indicada para responder a esta questão será a CerciBeja, enquanto entidade promotora do evento. No entanto, segundo foi anunciado publicamente, no intervalo do espetáculo, a receita alcançada foi substancial e, certamente, constituirá um bom reforço para a tesouraria da CerciBeja.

 

4. Está previsto a continuidade da Rural Beja e muito particularmente a Beja Brava, tendo em conta a mudança de executivo da Câmara?

O Grupo de Forcados Amadores de Beja tem sido parceiro da Câmara Municipal desde o primeiro ano em que na RuralBeja se integrou a componente taurina e, de forma transversal, tem colaborado, e está disponível para colaborar, com qualquer executivo promotor deste evento e de outros relacionados com a festa brava no nosso munícipio. Tendo em conta a dimensão e projeção que a RuralBeja, e a componente da Festa Brava, em particular, atingiram até ao momento, é um evento ao qual terá que, obrigatoriamente, ser dada continuidade.

 

5. Quais os programas do Grupo para o final desta temporada e quais as pretensões para o próximo ano?

Neste momento o Grupo já entrou no defeso, época propícia à reflexão. A última actividade de 2017 será o já tradicional jantar de Natal, com entrega de prémios aos forcados que mais se distinguiram e a outras entidades merecedoras do apreço do Grupo de Beja. No próximo ano o Grupo de Forcados Amadores de Beja comemorará o 10º aniversário da sua reaparição e será uma temporada recheada de simbolismo em que se pretende fazer um número de corridas consideráveis e pisar arenas de praças emblemáticas.

 

 

 

Fotografia: Frederico Henriques

Ultimos Artigos

Artigos relacionados