Rui Bento poderá ser gestor de outras praças em 2023

O empresário Rui Bento Vasques analisou ontem no Directo Tauronews a temporada nas praças de toiros da Nazaré e de Almeirim.

Sobre a Temporada de Verão na Nazaré, Rui Bento considerou-a positiva, admitindo que foi porventura “a melhor temporada dos últimos anos” no Sítio, acrescentando que, após cinco corridas, sentiu-se “realizado como empresário”. Quanto à próxima temporada naquela praça do Oeste, Rui Bento espera continuar o trabalho ali realizado nos últimos anos, desejando que “passe a ser praça de temporada”. Olhando para o próximo ano, o empresário tem pensado para já a realização do espectáculo cómico-taurino inicialmente idealizado para a presente temporada no Carnaval ou Páscoa de 2023.

Numa análise à temporada na Arena d’Almeirim, Rui Bento fez um balanço bastante positivo dos dois espectáculos ali realizados: “duas casas cheias, a última esgotada, e êxito artístico em ambas”, destacando ainda o valor de quase 47.000€ angariado na Corrida das Vindimas da passada sexta-feira que reverteu em favor da obra social da Santa Casa da Misericórdia.

Enquanto apoderado dos cavaleiros da família Rouxinol, Rui Bento faz igualmente um balanço bastante profícuo: “Luís Rouxinol, no ano em que comemora os seus 35 Anos de Alternativa, realizou 25 corridas de categoria e com um grande reconhecimento por parte de todos”.  Já quanto ao filho, Luís Rouxinol Jr., Rui Bento considerou que o cavaleiro foi algo injustiçado: “Foi um pouco injustiçado pela não presença em algumas das praças em que triunfou e merecia este ano estar em especial em praças onde se repetiram a presença de outros colegas”.

Rui Bento abordou também o estado actual da praça do Campo Pequeno, que geriu durante vários anos. Enalteceu o trabalho realizado por Luís Miguel Pombeiro à frente da praça lisboeta, que enfrentou duas temporadas assoladas pela pandemia da Covid-19; porém, reconhece que poderia ter apostado melhor na presente temporada: “O Campo Pequeno tem e deve ser a primeira praça do país e este ano não o foi”.

Sobre os actuais proprietários da Praça do Campo Pequeno – “Plateia Colossal” de Álvaro Covões – Rui Bento diz apenas que “nós aficionados, profissionais, quaisquer que sejam as nossas funções, devemos envolvermos-nos e preocuparmo-nos com o futuro da Festa, em especial com o futuro do Campo Pequeno”, alertando que houve alterações ao contrato (que antecederam à venda do Campo Pequeno a Álvaro Covões) devido a vários interesses.

Questionado sobre um eventual regresso ao Campo Pequeno, Rui Bento afirmou que não será viável uma eventual candidatura à respectiva gestão.

Já relativamente a outras praças, lança a “dúvida” e a possível vontade de se lançar em novos desafios. Apesar de sublinhar que a sua empresa não concorrerá a nenhum concurso, confirmou que poderá porventura aceitar convites onde sinta que possa aportar valor.

Houve ainda tempo para falar da família. Rui Bento diz que a sua família sempre o acompanhou no trajecto como empresário e continuará a acompanhar no futuro, nomeadamente o seu filho, que o tem escoltado, não apenas nos trabalhos de gestão de praças, mas também nos apoderamentos de Luís Rouxinol e Luís Rouxinol Jr.

Finalmente, sobre eventuais apoderamentos futuros, Rui Bento fala da sua abertura e honestidade de a cada temporada permitir que os artistas façam a sua análise e decidam de acordo com o que sentem ser melhor para eles, confidenciando que tem recebido convites de artistas em Portugal e Espanha, mas que quer deixar terminar a temporada para que todas as decisões possam ser tomadas de modo ponderado.

Artigos Similares

Destaques