Ramo Grande: “O grupo tem compromissos muito exigentes”

Manuel Pires, cabo do Grupo Amador de Forcados do Ramo Grande, esteve à conversa com a Tauronews e revelou como preparou a época. Saiba onde pode ver os forcados do Ramos Grande a pegar.

O Grupo Amador de Forcados do Ramo Grande, dos Açores, preparou a época com afinco como nos conta Manuel Pires, cabo do grupo. “Todos os treinos têm sido extremamente produtivos, pois temos corrigido alguns erros e aperfeiçoado os aspectos técnicos”, revela. E acrescenta: “Todos os anos aparecem jovens a quererem integrar o grupo. Contudo, existe todo um percurso que estes jovens têm de fazer no grupo até se fardarem pelos Amadores do Ramo Grande, nomeadamente conhecerem os valores e princípios do grupo, respeitarem a história do grupo e adquirir os atributos técnicos para um dia envergarem a jaqueta do Ramo Grande. Todo este processo demora o seu tempo, pelo que esta temporada, provavelmente, poderão fardar-se alguns elementos novos que já treinam no grupo desde o ano passado”.

O grupo já tem algumas corridas confirmadas, incluindo: “Uma nos EUA em Turlock, Campo Pequeno, Festas da Praia na Ilha Terceira e duas corridas na Feira Taurina da Graciosa. Existem mais corridas, mas que ainda não podem ser reveladas”. Manuel Silva acha que esta temporada vai ter mais corridas que na última. “Penso que iremos conseguir realizar mais uma ou duas corridas comparativamente ao ano transacto. Ser forcado, nos Açores, significa um maior isolamento e uma maior dificuldade em participar num maior número de corridas como desejaríamos. Contudo, fico muito satisfeito com as corridas que temos, pois são corridas importantes, em praças importantes e com toiros sérios, o que nos faz andar sempre com responsabilidade e sentimento de compromisso”.

O cabo do Ramo Grande tem muitas expectativas relativamente a esta temporada. “Olhamos para todas as temporadas sempre com muito optimismo e ilusão. Esta temporada o grupo tem compromissos muito exigentes, em praças muito importantes, como seja a corrida do Campo Pequeno e Corrida das Festas da Praia. A primeira por ser a primeira praça do país e por ser uma corrida de homenagem aos Açores e a segunda aquela que maior significado tem para o grupo por ser a corrida das festas da nossa cidade e do nosso concelho”, diz Manuel.

Para o forcado a tauromaquia “vive uma fase muito positiva. Assistimos recentemente a grandes triunfos da tauromaquia, como foi, por exemplo, o êxito do dia da tauromaquia no Campo Pequeno com uma demonstração clara de união e força de todos os aficionados. Para além disso, esta temporada fica também marcada pela enorme enchente na Praça de Santarém, com o público nas bancadas a dizer “SIM” aos toiros”, conta.

Manuel Pires acredita que “o forcado actualmente é muito respeitado no meio taurino. Actualmente assistem-se a grandes pegas e os grupos de forcados são considerados como figuras dos cartéis, o que no meu entender é extremamente benéfico e valoriza muito a figura do forcado amador”.

Para finalizar, o cabo do Ramo Grande relembra os maus e bons momentos que viveu na sua carreira. “A minha carreira como cabo é relativamente curta, sendo esta e a segunda temporada como cabo do grupo. Destaco como melhor momento a corrida concurso de ganadarias, na feira de Outubro, em Vila Franca em 2018, por ser uma praça de muita responsabilidade e muito exigente para os forcados e onde o grupo esteve francamente bem. E a corrida de 7 de Agosto de 2017, nas Festas da Praia, onde assumi o comando do grupo e onde pegamos seis toiros António Silva”, revela. E acrescenta: “Como pior momento destaco as poucas corridas que o grupo pega e consequentemente menos oportunidades para os forcados mais novos”.

 

Artigos Similares

Destaques