Quinta-feira de Ascensão com uma boa e animada tarde de toiros

Crónica

Chamusca (5ª feira da Ascensão)

10 de Maio de 2018

Cavaleiros: Luis Rouxinol e Duarte Pinto 

Matador de Toiros: Manuel Dias Gomes

Forcados: Amadores da Chamusca (cabo Nuno Marecos) e do Aposento da Chamusca (cabo Pedro Coelho dos Reis)

4 toiros da Ganadaria Prudêncio para a lide a cavalo

2 toiros da ganadaria Falé Filipe para lide a pé
Lotação: meia casa forte (sectores de sombra cheios e os de sol com pouco público)Director de corrida Lourenço Luzio e médico veterinário Dr. Luís da Cruz.

Em disputa o troféu Dr. João Duque para a melhor lide a cavalo e o troféu Eng. Jorge Duque para a melhor pega.

A corrida anunciada para as 16h30, começou com 15 minutos de atraso, com público ainda a entrar para os sectores de sol.

O 1º toiro da tarde da ganadaria Prudêncio, com o número 174 no costado, nascido em Outubro de 2014, com 520 kg, calhou em sorte ao cavaleiro Luis Rouxinol, que vestia uma casaca azul escuro.

Toiro de pelagem preta, com boa cara e bem apresentado. O cavaleiro cravou o primeiro ferro comprido, tendo levado um fortíssimo toque na montada contra as tábuas. Colocou de seguida um segundo comprido que ficou em bom sítio.

Luis Rouxinol trocou de cavalo para deixar em bom sítio um ferro curto de muito boa nota, rematando com maestria. Após uma passagem em falso, deixou o segundo curto e a música começou a tocar. Depois cravou mais três ferros curtos, sem o entusiasmo do público.

Para pegar este toiro saltou à praça o forcado Luís Isidro dos Amadores da Chamusca que brindou ao seu grupo. Luís Isidro citou de largo, recebeu bem o toiro mas acabou por sair da cara do toiro já no meio do grupo. Na segunda tentativa, o forcado citou com galhardia, o toiro arrancou com pata, tendo o forcado recuado, conseguindo uma boa reunião e o grupo ajudou coeso, tendo consumado a pega.   

O cavaleiro Luis Rouxinol e o forcado Luís Isidro deram volta à praça. Tendo o forcado Luís Isidro dado uma segunda volta, emotiva e com grande ovação do público e de todos os artistas e intervenientes da corrida, após ter entregue a jaqueta ao seu cabo.

 

O 2º toiro da corrida (pelagem preta, bragado), da ganadaria Prudêncio, bem apresentado, com boa cara e com o número do costado 153, nascido em Setembro de 2014, com 510 kg, para o cavaleiro Duarte Pinto que se apresentou de casaca cor de vinho.

O cavaleiro Duarte Pinto, após um brinde que dirigiu ao céu, recebeu bem o toiro, levando o mesmo na garupa do cavalo, cravou um primeiro ferro comprido que ficou bem colocado. Deixou o segundo comprido em bom sítio, com um toque na garupa. Trocou de cavalo e continuou a lide levando bem o toiro, colocando-o e deixando o primeiro ferro curto em bom sítio.  Duarte Pinto continua a lide com o toiro toureado, deixando-o colocado e, de praça a praça, deixou um segundo ferro curto de boa nota, que mereceu palmas do público e a música começou a tocar. Seguiram-se mais três ferros curtos, que rematam uma lide de bom nível, com bastante acerto e com grande empatia com o público.  

Para a cara do segundo toiro da tarde, saltou à praça o outro grupo da terra Aposento da Chamusca e para a cara foi o forcado João Saraiva que brindou ao Presidente da Câmara da Chamusca Dr. Paulo Queimado. João Saraiva com um cite calmo e bonito, provocou a investida do toiro, aguentou com quietude, recuou e fechou-se com decisão e galhardia com o grupo a ajudar bem e a pega consumada à 1ª tentativa.

O cavaleiro Duarte Pinto e o forcado João Saraiva deram volta à praça.

O 3º toiro da corrida (pelagem preta) da ganadaria Falé Filipe, com o número do costado 81, nascido em Janeiro de 2015, com 480 kg, para o matador de toiros Manuel Dias Gomes de traje de luzes azul claro e ouro.

Iniciou a faena com paróns, seguido de uma série de verónicas com temple e rematou com meia verónica de boa nota. Seguiu-se um quite de tafalleras. Esteve bem com o capote.

Esteve muito bem a sua quadrilha com bons pares de bandarilhas de nota elevada.

Manuel Dias Gomes brindou a faena de muleta ao maestro Vitor Mendes. Apesar de o toiro não repetir e ficar curto, inicia a sua faena com doblones, seguidos de séries de derechazos e naturais que mereceram palmas do público. Rematou a lide a simular a estocada com uma bandarilha, tendo recebido palmas do público.  Manuel Dias Gomes deu volta à praça.

 

O 4º toiro da tarde da ganadaria Prudêncio, de pelagem preta, com boa cara e boa apresentação, com o número do costado 161, nascido em Janeiro de 2015, apresentando 480 kg, para o cavaleiro Luis Rouxinol.

Luis Rouxinol brindou a sua lide a João Simões. O toiro saiu algo distraído, tendo o cavaleiro cravado um primeiro ferro comprido de boa nota. Para, de seguida, dando vantagens, deixar um segundo ferro que ficou bem colocado.

O cavaleiro trocou de cavalo e continuou a lide levando muito bem o toiro com emoção e, em curto, deixou o primeiro ferro curto de boa nota, com o público a responder com uma ovação e a música começa a tocar. De seguida crava mais dois ferros curtos com o toiro a colaborar pouco.

Já com nova montada Luis Rouxinol crava um bom ferro de palmo e remata a sua lide com um par de bandarilhas de muito boa nota, com ovação do público. De realçar que o troféu Dr. João Duque em disputa para a melhor lide a cavalo foi atribuído a esta lide.    

Para a cara do 4º toiro da tarde, 2º para os Amadores da Chamusca, saltou à praça o forcado Bernardo Borges que brindou ao público que se encontrava nas bancadas. Com um cite calmo e a dar vantagens, provocou a investida do toiro, aguentou, recuou e reuniu bem, com o grupo a ajudar coeso, tendo sido concretizada a pega à 1ª tentativa. Realça-se que o troféu Eng.º Jorge Duque para a melhor pega foi atribuído a esta pega.

O cavaleiro Luis Rouxinol e o forcado Bernardo Borges deram volta à arena.

O 5º toiro da tarde (de pelagem preta) da ganadaria Prudêncio, com o número 142 no costado, nascido em Outubro de 2014, bem apresentado e com o maior peso da corrida 550 kg, para o cavaleiro Duarte Pinto.

O cavaleiro Duarte Pinto recebeu o toiro, cravando um primeiro ferro comprido, de má colocação. De seguida cravou um segundo comprido, este já em bom sítio. Mantendo a mesma montada, continua a lide e deixa o primeiro ferro curto bem colocado e recebe ovação do público e a música começa a tocar. Com um bom sentido de lide e toureando a gosto, crava um segundo curto de boa nota. De seguida, de praça a praça, deixa outro ferro curto em bom sítio. Continua uma lide em grande empatia com o público e de frente e devagar, deixa mais dois ferros curtos de excelente nota. Remata a lide com um ferro curto que dedica ao Presidente da Câmara da Chamusca.

Para a cara deste 5º toiro da tarde saltou à praça o forcado Francisco Barreiros Andrade, envergando a jaqueta do Aposento da Chamusca. Com um cite bonito, o toiro arrancou solto e com pata, o forcado recuou mas a reunião não foi conseguida e a pega não foi consomada. Na segunda tentativa, citou com calma, provocou a investida e o toiro investiu com pata, o forcado recuou bem e fechou-se com garra, com uma valente primeira ajuda, tendo o toiro tirado com violência o forcado da cara. Na terceira tentativa, após um cite mais em curto, o toiro investiu, continuando a empurrar, tendo o forcado recuado e fechando-se à córnea com o grupo a ajudar em tábuas consomou a pega.

Cavaleiro João Duarte Pinto e o forcado Francisco Barreiros Andrade deram volta à praça.    

O 6º toiro da corrida (preto, bragado) da ganadaria Falé Filipe, com o número do costado 81, nascido em Dezembro de 2014, com 500 kg, para o matador de toiros Manuel Dias Gomes.

Iniciou a faena de joelhos com uma larga cambiada, seguindo-se uma série de verónicas, com muito temple, de excelente nota. Iniciou uma série de chicuelinas de boa nota, que remata com uma larga muito templada. Manuel Dias Gomes esteve com arte e temple com o capote e recebeu fortes ovações.

Continuou em bom nível a sua quadrilha com bons pares de bandarilhas.

Manuel Dias Gomes brindou a faena de muleta ao público. Inicia a sua faena no meio da praça com pase cambiado por la espalda, seguido de excelentes séries de naturais e derechazos com muita arte, temple e profundidade, que mereceram ovação e “olés” do público. Manuel Dias Gomes esteve a gosto, com quietude e a desfrutar. Ao som da música a faena seguia diversificada e muito templada. Rematou a lide a simular a estocada a receber. Manuel Dias Gomes deu volta à praça com forte ovação do público.

No final, com os artistas no centro da praça, foram atribuídos os troféus em disputa.

Esta é a crónica de um aficionado.

Ultimos Artigos

Artigos relacionados