Queima das Fitas de Coimbra vai ter Garraiada

Movimento “Coimbra dos Estudantes” garante que vai manter tradição e pondera realizá-la em Coimbra. Valores democráticos da academia devem garantir que alunos possam escolher participar no evento.

O movimento “Coimbra dos Estudantes” está determinado em manter a tradição da academia coimbrã e garante que vai organizar a Garraiada durante a Queima das Fitas, mesmo que o Conselho de Veteranos decida excluir este evento com 115 anos de história.

O resultado do referendo apenas demonstra que o tema, para uma enorme maioria, não é sequer motivador para o exercício do voto. De um universo de 24 mil alunos, apenas cerca de 5600 manifestaram a sua opinião.

Segundo o movimento, a consulta demonstrou também que as irregularidades cometidas pela Direção-Geral da AAC e pela Comissão de Organização da Queima das Fitas conseguiram impor a vontade de uma minoria sobre toda a comunidade estudantil.

“Acreditamos numa universidade plural, na qual cabem todas as ideias, e não num espaço onde se fomentam proibições e se impõem as ideias de uns a outros. Assim sendo, caso exista uma decisão de exclusão da organização da garraiada pela COQF este movimento de alunos vai organizar a garraiada na Queima das Fitas de 2018”, afirma Ricardo Marques, presidente do movimento “Coimbra dos Estudantes”. 

Neste momento, estão duas opções em cima da mesa: continuar a realizar a garraiada na Figueira da Foz ou o regresso da garraiada à cidade de Coimbra. Uma coisa é certa: os estudante poderão continuar a viver a cultura e tradição da Universidade de Coimbra, com a inclusão da Garraiada.

 

 

 

 

 

 

Fotografia: D.R.

Ultimos Artigos

Artigos relacionados