Polémica na praça do Cartaxo: ex-cabo dos forcados acusa Junta de má gestão

Vitor Teixeira Santos (à esquerda na foto) é o protagonista e narrador desta polémica que envolve Délio Pereira presidente da Junta do Cartaxo e Vale da Pinta (à direita na foto).

Tudo começou em Março de 2018, quando Vitor Teixeira Santos, antigo cabo do Grupo de Forcados Amadores de Cartaxo leu a entrevista que Délio Pereira concedeu ao Jornal do Cartaxo assumindo que iria tomar conta da gestão da praça de toiros, entrevista onde dava nota dos erros da gestão anterior.

A praça de toiros do Cartaxo tinha sido gerida nas duas anteriores temporadas pela Associação do Grupo de Forcados do Cartaxo, que, segundo Teixeira Santos, a tinha gerido com mérito, conseguindo até bastante afluência de público, ao contrário do que ali se vinha passando em anos anteriores.

Mas, a indignação de Vitor Teixeira Santos não se prendeu só com as acusações do Presidente Junta de Freguesia (que assinalou por exemplo que os forcados tinha reduzido o número de espectáculos).

A principal razão do descontentamento de Vitor Santos resultou da surpresa que teve ao descobrir que afinal a praça já estava entregue à junta, quando em Dezembro do ano anterior numa reunião da Câmara Municipal, tinha ficado acertado que a gestão da praça seria repartida entre as autarquias, toureiros da terra (Parreirita Cigano e Manuel Jorge de Oliveira), forcados da terra, empresas e aficionados locais.

Só que Vitor Teixeira Santos ficou atento à gestão da praça que deixou de fora a associação do grupo do Cartaxo e veio agora trazer à luz as promessas do presidente da junta antes do início da temporada e aquilo que, segundo ele, se passou ao longo desta temporada.

 

 

Artigos Similares

Destaques