Pamplona: Ganadeiros acordam não enviar toiros se não houver corridas em San Fermín

Depois de o Alcaide de Pamplona ter afirmado que não via umas Festas de San Fermín sem toiros, mas sim sem corridas, ganadeiros de todas as associações espanholas de criadores de toiros de lide declararam não enviar qualquer toiro para Navarra caso não se realizem corridas.

Todas as associações (União de Criadores de Toiros de Lide, Associação de Ganadarias de Lide, Agrupamento Espanhol de Reses Bravas, Associação de Ganadeiros de Reses de Lide e Ganadeiros de Lide Unidos) uniram-se em torno do mesmo ideal.

As ganadarias a serem lidadas nas corridas realizadas este ano em Pamplona pelas Festas de San Fermín vieram a público “exigir a rectificação do Alcaide de Pamplona”. E acrescentam: “Somos criadores de toiros e seleccionamos, protegemos e mantemos este animar para ser lidado numa praça de toiros. É o nosso esforço, o nosso trabalho e a nossa ilusão. Não faz sentido uma Feira de San Fermín sem que os toiros que tenham sido corridos de manhã durante os encerros não sejam lidados à tarde na praça de Pamplona”.

Os ganadeiros usam-se ainda de dados de natureza económica e financeira para repudiar as declarações de Joseba Asirón, alcaide de Pamplona, sustentando que as festividades de San Fermín atraem milhares de pessoas àquela cidade por haver os tradicionais encerros matinais e as corridas de feira, o que automaticamente gera milhões de euros de riqueza para a cidade: “A Feira do Toiro faz gerar na cidade de Pamplona cerca de 74 milhões de euros por ano, o que se traduz num movimento acumulado de 740 milões de euros ao longo dos últimos dez anos“.

Para terminar, os ganadeiros reafirmam que “as corridas de toiros justificam a realização dos encerros, uma vez que se “trata hoje de uma tradição convertida em festejo popular”.

 

 

 

 

 

 

 

Fotografia: D.R.

Ultimos Artigos

Artigos relacionados