O triunfo de Moura, a Raça de Bastinhas e o Futuro promissor de Brito Paes

Crónica

O triunfo de Moura, a Raça de Bastinhas e o Futuro promissor de Brito Paes

  • 28 de maio de 2022, Santo António das Areias
  • Cavaleiros: João Moura Jr, Marcos Bastinhas e Joaquim Brito Paes
  • Forcados: Portalegre, Académicos de Elvas e Coimbra
  • Direção de Marco Gomes assessorado por José Guerra
  • Praça a 1/2 de lotação

Ontem dia 28 de Maio de 2022 a bonita e catita praça de toiros de Santo António das Areias recebeu uma corrida de toiros à portuguesa. Meia casa bem composta, sombra cheia e sol com mais espaços livres, o calor fez das suas…

Foram lidados seis toiros de Joaquim Brito Paes, condignos em termos de apresentação para uma praça de terceira. De comportamento variado, destaque para quarto, bravo, nobre, com som nas acometidas a cavalo e investida nos capotes, dava pelo nome de Jaleca. O quinto também foi um bom toiro, vindo a menos no fim da lide. Primeiro, terceiro e sexto não causaram problemas de maior. Manso o mais terciado do lote o que fez segundo.

João Moura Jr. andou em bom plano no primeiro e armou um “lio” com o bravo quarto. Bom comprido o segundo, com respectivo remate. Nos curtos destaque para primeiro, terceiro e quatro. Bem a lidar, rematando os ferros com toreria.
No quarto aproveitou e desfrutou com o Jaleca! Os compridos foram sublimes, abrindo os caminhos ao toiro. Nos curtos os ladeios a duas pistas e os remates por dentro fizeram os presentes a aplaudir com força uma lide de altos quilates. Cravou ferros cheios de verdade, rematou os mesmo com uma graça toureira ao alcance só dos eleitos, parecendo o cavalo uma autêntica muleta a tourear em redondo Rematou a lide com um com palmo.

Marcos Bastinhas, também andou em bom plano, duas lides que fizeram os aplausos brotar com força das bancadas.
No segundo bem nos compridos, nos curtos a série foi vibrante. Rematada com um palmo e um bom par de bandarilhas.
No quinto Bastinhas saiu a por todas e recebeu o oponente na porta dos sustos. Os compridos foram de boa nota. Nos curtos andou a gosto e assim o viu o público apludiu com força. A pedido dos presentes cravou um par de bandarilhas já com o toiro muito a menos.

Joaquim Brito Paes, teve uma passagem por Santo António das Areias com destaque maior. Protagonizando um dos momentos da corrida no terceiro da tarde. Que ferro foi aquele? Simplesmente genial.
No primeiro do seu lote andou correcto e em bom tom nos compridos. Nos curtos o primeiro fez levantar o público das bancadas. Um cambio, ajustado, com valor, raça, mostrando o cavaleiro que é. Olé! Mais dois se lhe seguiram na mesma sorte e de boa nota. Andou bem a lidar e a rematar. Lide curta mas intensa.
No sexto teve que puxar dos galões para interessar o toiro. O primeiro comprido ficou descaído. O segundo já foi em su sítio e de boa nota. Os curtos tiveram sabor, arte e valentia. O toureiro desfrutou e fez desfrutar. De boa nota segundo e terceiro e um quinto de poder a poder genial.

Boa tarde de pegas, Portalegre, Académicos de Elvas e Amadores de Coimbra.

Abriu praça Rui Pombo, por Portalegre, à primeira tentativa. Bem a receber para se fechar com eficácia, com o grupo ajudar como mandam as regras.
O quarto foi pegado por Miguel Lourenço também numa boa sorte à primeira tentativa.

Pelos Académicos de Elvas Roberto Ameixa foi o escolhido para pegar o segundo da ordem, boa pega à primeira tentativa.
Paulo Ganhão, citou com galhardia, recebeu bem, ajudou o grupo de forma eficiente.

Pedro Casalta, por Coimbra, à segunda tentativa pegou o terceiro da tarde.
Henrique Flório numa grande pega à barbela ao primeiro intento. Bem o grupo a ajudar.

Foi guardado um minuto de silêncio por Eurico Lampreia.

Dirigiu a corrida Marco Gomes, sendo o médico veterinário José Guerra.

Ultimos Artigos

Artigos relacionados