No sítio, Palha puxou dos galões

Praça de Toiros do Sítio da Nazaré

Cavaleiros:

Marcos Bastinhas
Duarte Pinto
Francisco Palha

Ganadaria: Passanha

Grupos de forcados amadores de Santarém e Beja, capitaneados, respectivamente, pelos senhores João Grave e Miguel Sampaio.

A segunda corrida de toiros na castiça praça do “Sitio” na presente temporada, tinha um cartel aliciante, bem montado, oferecendo ao público três distintos estilos de toureio, uma ganadaria que oferece garantias e dois grupos de forcados vindos de duas capitais de Distrito bastante aficionadas.

Não fossem as restrições impostas pela DGS e teríamos certamente praça cheia, assim sendo, arrisco a dizer que a lotação máxima permitida, ficou muito próxima de ser alcançada.

Uma palavra para a organização na pessoa de Rui Bento Vasques que, mostrou um profissionalismo exemplar, fazendo com que todos os mecanismos de segurança tenham sido assegurados, passando muito naturalmente uma mensagem importante de confiança aos espectadores e às autoridades reguladoras.

Nas cortesias perfilaram-se três cavaleiros da nova geração, Marcos Bastinhas, Duarte Pinto e Francisco Palha, o mais antigo grupo de forcados do País e o mais novo que integram a Associação Nacional de Forcados, Santarém e Beja respectivamente, o rei da festa vinha da Herdade da Pina em Évora.

Abriu praça Marcos Bastinhas no seu tom habitual frente a um toiro com 540kg que se deixou lidar, apresentando um comportamento próprio do tipo da ganadaria, tal como os seus irmãos de camada, à excepção do último, mas já lá vamos.
O cavaleiro de Elvas entrou com ganas de triunfar. No seu primeiro, esteve bem nos compridos, preparou as sortes chegando com facilidade às bancadas, ficou-nos na retina um violino vistoso e um par de bandarilhas sempre do agrado do público, dando assim por terminada a lide, resultando esta agradável.

Na sua segunda frente a um toiro de 490kg, cumpridor, Bastinhas voltou a estar bem nos compridos, trazendo o toiro toureado na garupa do cavalo e em curto realiza uma lide agradável que agradou muito o “conclave”, termina com a sua imagem de marca, o par de bandarilhas. Boa passagem pela Nazaré.

Duarte Pinto, saiu-lhe em sorte um toiro com 560kg com uma saída muito distraída que, por momentos poder-lhe-ia ter causado um grande susto. Regular nos compridos, nos curtos andou a gosto, tentando sempre andar ligado ao toiro, cravou alguns ferros que resultaram bem e o público retribuiu com entusiasmo.

No seu segundo, foi em crescendo, frente a um cumpridor toiro com 470kg, andou regular nos compridos para, já nos curtos iniciar uma boa serie com classe, Duarte Pinto esteve em bom plano no computo geral, sendo que, em plano superior nesta segunda lide. Bem Duarte Pinto esta noite.

Francisco Palha frente ao seu primeiro com um peso de 530kg, reservado e a pedir que lhe pisassem os terrenos, consentiu alguns toques fruto do risco que empresta sempre às suas lides. Nos compridos andou regular, nos curtos sempre com o elemento risco na “ementa”, foi crescendo para terminar num plano que se aproxima mais do seu real valor.

A encerrar a corrida e a temporada no Sítio, Palha mostrou ao que vinha confirmando toda a sua qualidade e o estatuto de figura. Se no seu primeiro o oponente não lhe permitiu mais, neste segundo com 490kg, de bom tipo, com trapio, sério e com raça, apesar de se mostrar nalguns momentos da lide reservado, triunfou. Após deixar a ferragem comprida da ordem, iniciou uma serie de ferros ao piton contrário de boa nota, para seguidamente “colocar a carne em cima do assador”, ora mandando vir o toiro, aguentando a investida, ora entrando em terrenos de grande compromisso para cravar o ferro e rematar por dentro, foi a lide da noite.

Nas pegas, estavam anunciados os grupos de Santarém e Beja, está na génese dos grupos de forcados acontecer uma rivalidade saudável dentro de praça, contudo a forma como as normas impostas pelo IGAC foram implementadas, retira por completo a competição que tem de existir. Sendo obrigatório a realização de testes de despistagem ao covid19, para quem se farda, por que razão, uma das formações tem de abandonar a trincheira quando não está a ser lidado o seu toiro, privando-a seguidamente de assistir à pega? Se há pessoas que não devem permanecer “entre tábuas”, não são seguramente os forcados, pois estes para poderem ali estar, é porque não estão infectados. Situação a rever com urgência para bem da festa.

Pela formação mais antiga do País, abriu praça Francisco Cabaço, na 1ª tentativa a reunião não resultou bem e um derrote lateral, retira o forcado da cara, na 2ª tentativa fez tudo bem com o grupo a ajudar.

Para a cara do terceiro da noite Francisco Paulos, citou de trás com toureria, reuniu superiormente, para realizar uma boa pega com o grupo a ajudar.

Bateu as palmas ao quinto da noite Manuel Almeida, mandou vir toiro, este ensarilhou para uma reunião imperfeita, contudo, o forcado mostrou raça e vontade de ficar na cara, com o grupo mais uma vez a fechar bem. Boa actuação do grupo de Santarém esta noite, vendo ganha a aposta na juventude.

Pela formação Alentejana abriu Luis Eugénio “Leiria”, forcado de créditos firmados, onde tem feito toda uma carreira nas ajudas, recebeu o prémio do cabo para pegar “em casa”. Não teve uma noite feliz, cometeu alguns erros próprios de quem não está nos seus terrenos e só à quarta resolveu com o grupo a ajudar mais em curto.

Para o quarto da noite, Francisco Patanita, citou de trás, mandou vir a seu mando, mas no momento da reunião faltou voz e acaba por ser desfeiteado, na segunda tentativa, emendou na reunião e acabou por consumar com o grupo a ajudar.

A tarefa de pegar o último da noite coube ao jovem José Tiago, correcto no cite, manda vir, tropeça ao recuar e não chega a reunir, na segunda tentativa reúne deficientemente, não conseguindo emendar e a acaba “despachado” com violência, ficando inanimado no chão, saltou para a dobra Tiago Graça que realizou à sua primeira tentativa, uma boa pega com o grupo a ajudar.

A Tauronews deseja as melhoras ao forcado dos amadores de Beja que, se encontra de momento a realizar exames no Hospital de Leiria.

Dirigiu a última desta pequena temporada, o Sr. José Soares, assessorado pelo médico Veterinário José Lourenço.

Ultimos Artigos

Artigos relacionados