Nas Janelas Floridas de Moura, o Manel e Luis foram os triunfadores

Nas Janelas Floridas de Moura, o Manel e Luis foram os triunfadores

  • 14 de maio de 2022, Moura
  • Cavaleiros: João Moura, Manuel Telles Bastos e Luís Rouxinol Jr
  • Forcados: Real de Moura, Safara e Monsaraz
  • Ganadaria: Luis Terrón
  • Direção de Domingo Jeremias, assessorado por Matias Guilherme
  • Praça a 1/2 de lotação

Quando passamos do paredão da barragem de Alqueva avistamos a velha salúquia, lá no alto, a paisagem é abrumadora… a primavera por aqui é puro deleite aos sentidos. Moura por esta altura também se engalana de Primavera e festeja as suas Janelas Floridas.  Entre paredes caiadas de branco e vasos transbordando de flores, concentra-se a essência do grande orgulho dos Mourenses. Como não podia deixar de ser Festa que é Festa por esta imensidão do Alentejo têm que ter toiros e ontem 14 de Maio Moura recebeu a sua primeira corrida da Temporada de 2022. Tarde entretida e com motivos de interesse!

 

Foram anunciados seis toiros com o ferro espanhol de Luis Terrón. Exemplares típicos do encaste Murube, grandes, pesados, altos, negros de capa e com bonitas caras. Quanto ao comportamento, o primeiro foi nobre mas teve pouco andamento; O segundo fazia o papel do distraído mas estava atento a tudo… De princípio teve mais gás mas veio a menos com o decorrer da lide;  O terceiro teve algumas querença em tábuas, de lá saia sem dificuldades de maior, também vindo a menos com o decorrer da sua lide; O quarto foi o mais complicado dos seis, no momento do ferro tentava defender-se,  nunca foi definido, acabando por não romper; O quinto foi o melhor dos seis, nobre, com recorrido, mobilidade, teve laivos de bravo. Bom toiro! Fechou a corrida um toiro grande, mas que teve som nas acometidas ao cavalo, investido com ritmo nos capotes, também foi um bom toiro.

 

João Moura, veio a até esta bonita cidade alentejana com ganas de triunfo. No seu primeiro nos compridos o segundo foi dos bons, nos curtos também o segundo foi de nota. Trocou de montada e lide veio a mais, os ferros foram cravados a preceito, a brega foi bonita, rematando as sortes de forma toureira. No quarto o toiro não foi fácil mas Moura deu-lhe a volta! De grande nota o curto com que abriu a série, novamente com uma nova montada houve bons momentos de toureio a cavalo, destaque maior para terceiro e quarto curtos, bem a bregar e rematar. Os presentes que preenchiam meia praça aplaudiram com entusiasmo o de Monforte.

 

Manuel Ribeiro Telles Bastos recebeu o seu primeiro na porta dos sustos, o toiro saiu com pata e as primeiras palmas da lide foram escutadas. Os compridos foram cravados de forma solvente. Na série de curtos a lide veio de menos a mais, bom o segundo, o quarto foi de alta nota. Citou de forma bonita, partiu recto e de frente, abriu ligeiramente o quarteio, cravando de alto a baixo ao estribo o melhor ferro da sua lide. No quinto a lide também veio a mais, acabando em plano de triunfo! Foram seis os curtos, os três últimos foram daqueles que só o Manuel sabe cravar… Que gosto ver assim tourear a cavalo! O toureiro sentiu-se e a obra aconteceu, o quarto foi sensacional, quinto bom e o com que fechou a actuação foi novamente marca Manel. Bem a lidar, rematando de forma toureira. Olé!

 

Luís Rouxinol Jr. teve uma boa passagem por esta corrida das Ruas Floridas! Bem nos compridos com o terceiro da tarde. Nos curtos de nota maior foram o com que abriu a actuação, e também o quarto da sua lide. Rematou com um bom ferro de palmo. No que fechou praça aproveitou de cabo a rabo o bom Terrón! Bem nos compridos. Nos curtos a lide foi empolgante e assim o reconheceram os presentes não lhe regateando aplausos, boa sequência de curtos, destaque maior para o grande terceiro que levantou o público dos assentos. Bem a bregar, bonitos recortes e a rematar os ferros. Boa lide de Rouxinol Jr.

 

Três grupos de forcados foram convidados a pegar esta corrida: Os da Terra, o Real de Moura, os de Safara e os de Monsaraz. Tarde positiva para os rapazes da jaqueta das ramagens, diante de toiros cinquenhos e pesados que não perdoam falhas mas que os três grupos souberam resolver rijamente.

 

Abriu praça João Pedro Ameixa, numa boa pega à primeira tentativa. Bem o forcado a citar, receber com o Real a ajudar de forma coesa.

Rui Branquinho à terceira, num toiro que era bruto no momento da reunião, derrotando com força com um corno quando sentia o forcado por perto. O terceiro ajuda Carlos Morgadinho foi derrotado de forma violenta contra as tábuas na segunda tentativa saindo maltratado, mas sem consequências de maior Graças a Deus.

 

Pelos de Safara, João Isqueiro bem à primeira tentativa, pega com o forcado da cara a fazer tudo bem feito e o grupo a ajudar de forma eficiente.

André Borralho na pega da tarde à primeira tentativa, bonito a citar, recuar, recebeu bem, com o grupo a fazer as coisas todas bem feitas.

 

Gabriel Oliveira, à segunda tentativa pelo grupo de Monsaraz, o grupo esteve bem a ajudar.

O experiente André Mendes à terceira tentativa com o que fechou praça. Na segunda tentativa o toiro mais que investir atropelou o cara, investido por cima, o André não se deu por vencido e à terceira tirou-lhe a “maldade” e resolveu o problema.

 

Dirigiu a corrida Domingo Jeremias, sendo o médico veterinário Matias Guilherme.

Artigos Similares

Destaques