Museu do Côa recebe exposição de Júlio Pomar que relaciona os toiros com os seus ancestrais

A exposição “Incisão no Tempo” contém cerca de duzentas peças do pintor Júlio Pomar que exploram as semelhanças entre os toiros com os auroques, seus antepassados.

Júlio Pomar, neste conjunto de gravuras criadas durante os anos ’70, explora os toiros e campinos de forma que seja possível relacioná-los com as conhecidas gravuras rupestres do Vale do Côa, cuja figura principal são os auroques.

Na inauguração estiveram presentes o ministro da Cultura, Luís Filipe Castro Mendes, e outras figuras da área cultural. “Trata-se de uma exposição de um artista contemporâneo, como Júlio Pomar, que se vem instalar junto do apelo e do gesto daquele homem da pré-história que gravou na pedra diversas figuras de animais e objetos“, disse o ministro da Cultura.

A exposição “Incisão no Tempo” foi inaugurada este sábado e manter-se-á no Museu do Côa até dia 5 de Maio.

 

 

 

 

Fotografia: Côa

Ultimos Artigos

Artigos relacionados