Movimento “Coimbra dos Estudantes” faz comunicado sobre a garraiada em Coimbra

 Ricardo Marques, representante do movimento, publicou o parecer do grupo sobre a questão da garraiada em Coimbra, que, sabe-se agora, afinal não vai acabar.

Leia abaixo o comunicado:

O Conselho de Veteranos da Universidade de Coimbra fez uma consulta, não vinculativa, aos estudantes da universidade para saber se a garraiada devia continuar a integrar o programa oficial da Queima das Fitas. Num universo de 24 mil estudantes, votaram cerca de 5600, dos quais cerca de 3900 respondeu “não” e cerca de 1500 respondeu “sim”.

Sobram agora os considerandos sobre o porque de se fazer esta consulta isolada sobre a garraiada, com 115 anos de história, do conjunto de todas as atividades que compõem a tradição académica de Coimbra. O ódio, intolerância, caciquismo e cobardia vindos de vários órgãos da academia quiseram atacar e excluir a garraiada e levaram a esta situação, ainda mais grave pela irresponsabilidade de quem tem a obrigação de defender e preservar a historia e tradição da academia. Uma obrigação para com todos os estudantes, passados, presentes e futuros que não foi respeitada.

A Liberdade e diversidade são a essência da Universidade de Coimbra. Uma Universidade aberta, plural, sem proibições ou pensamento único, cuja luta pela liberdade é um dos principais patrimónios e legados que recebemos nesta academia.

A opinião de todos é muito importante, no entanto, em matérias de cultura e património, parte fundamental da identidade e liberdade e direitos de cada indivíduo dessa comunidade, uma sociedade verdadeiramente democrática não se orienta por uma lógica de proibição de algo partindo da ideia de que se uma parte dessa comunidade não defende essas matérias, todos devem ser privados delas. Antes o oposto.

Como movimento de estudantes de Coimbra acreditamos numa universidade plural, na qual cabem todas as ideias, e não num espaço onde se fomentam proibições e se impõem as ideias de uns a outros. Os valores democráticos da academia devem garantir que os alunos possam ter o direito de escolher os eventos em que participam. Uma sociedade democrática, como deve ser uma academia universitária, é aquela que protege a diversidade e a diferença no seu interior como espaço fundamental da realização de cada um dos seus indivíduos pela liberdade.

Uma coisa é certa, este movimento tudo fará para que os estudante continuem a ser livres de escolherem viver ou não a cultura e tradição da Universidade de Coimbra, indo ou não à Garraiada ou outro evento integrado na Queima das Fitas.

Se muitos dos órgãos da Academia de Coimbra não estiveram à altura das suas responsabilidades para com todos os elementos da sua comunidade, usando as ideias de uns para as impor a todos, os estudantes estarão à altura da herança de liberdade da nossa Universidade e manteremos a garraiada como símbolo da defesa da tradição de liberdade desta universidade.

Temos encontro marcado com a liberdade em Maio, na Queima das Fitas de Coimbra, na Garraiada Académica.

Movimento Coimbra dos Estudantes

 

 

 

Fotografia: D.R.

Ultimos Artigos

Artigos relacionados