Medellín: SIM HAVERÁ TOIROS

A nova proprietária da praça de toiros de Medellín vai manter o director executivo da anterior gestora para dar continuidade aos toiros no tauródromo colombiano.

A notícia do cancelamento da feira de Medellín deixou o mundo taurino “chocado”, muitos tendo vaticinado e chorado a “sua morte”.

Afinal, a D’Groupe SAS que é agora a proprietária, já deu sinal verde às corridas de toiros, tendo mantido o director executivo da anterior gestora Juan José Arias, para tomar as decisões quanto às actividades tauromáquicas do pavilhão muiltiusos.

De facto, a feira de grande qualidade que estava prevista e que reunia grandes figuras do panorama taurino internacional (desde Enrique Ponce, Roca Rey, Curro Díaz, David Mora, entre outros) e que deveria decorrer entre o dia 1 de Janeiro e o dia 9 de Fevereiro de 2019, já não vai ter lugar.

No entanto, com o esforço formidável da família taurina e com um especial impulso dado ganadero Alberto Cediel, a temporada já está a reorganizar-se e já existem até algumas datas confirmadas, conforme adianta o portal taurino Tendido7.

Vai realizar-se uma novilhada no dia 26 de Janeiro e duas corridas de toiros nos dias 2 e 9 de Fevereiro, e lidarão-se-ão toiros de Juan Bernardo Caicedo, Ernesto Gutiérrez e Santa Bárbara.

Apesar de ainda ter não ser efectivamente oficial, não há dúvidas que ao contrário do que foi vaticinado por alguns, a tauromaquia vai continuar em Medellín.

Medellín ficou em foco pelo mundo taurino desde o dia 7 Dezembro quando um comunicado feito chegar a público pela anterior gestora da praça (Cormacarena) deu a saber que a feira ficaria sem efeito, tal como todos os eventos por si acordados, já que os 51% da praça de toiros que lhe correspondia haviam sido vendidos à D’Groupe SAS.

D’Groupe SAS. é uma empresa dedicada à produção de espectáculos que nunca esteve ligada à tauromaquia, o que, à partida fez temer pela sua continuidade e preservação naquela praça colombiana. Isto apesar de a D’Groupe ter emitido um comunicado de “boas vindas” quando adquiriu o espaço, já que nada referiu quanto à continuação da realização de corridas de toiros.

Posteriormente contactada pelos meios de comunicação, a empresa veio esclarecer que “as portas estavam abertas” para que se realizem espectáculos taurinos, mesmo que eles não viessem a ser organizados pela própria proprietária da praça.

Ricardo Peláez, representante da D’Groupe SAS acrescentou que “não somos empresários de toiros, não sabemos nada do tema” mas “se os empresários taurinos consideram que a actividade pode ser viável para eles seguindo os parâmetros necessários, é mais uma opção”.

As notícias por agora são bastante positivas já que colocam a actual proprietária como organizadora dos eventos tauromáquicos através de um director executivo, que ademais, já geria a praça de toiros La Macarena com a anterior gestão.

 

 

 

Artigos Similares

Destaques