“Manolete Yo me mando”: o novo livro sobre o toureiro que marcou a História da Tauromaquia

O livro foi escrito pelo fotógrafo José María Lara, amigo pessoal de “Manolete”, em 1977, mas só agora foi publicado, revelando várias circunstâncias da sua vida que eram desconhecidas.

“Manolete Yo me mando” é uma obra publicada pela editorial Bellaterra como comemoração do centenário do nascimento do histórico matador de toiros “Manolete” em 2017, para muitos considerado o maior toureirode todos os tempos.

Algumas das informações trazidas agora a luz são o facto de “Manolete” já não ser apoderado de Manuel Flores “Camará” no seu último ano de carreira e de “Manolete” e a sua companheira, Lupe Sino, terem voltado afastados do México em 1947, ano da morte do toureiro. O livro conta também sobre a visita que “Manolete” fez ao médico nesse mesmo ano e que lhe revelou o diagnóstico de uma “grande depressão nervosa”, com a recomendação de não continuar a tourear, pois perdera reflexos. O toureiro, conta Lara, ignorou o conselho, pois queria concluir as dez ou doze corridas que faltavam para a sua retirada.

O livro, recuperado pelo filho de José María Lara com a ajuda de Antonio Pradel, inclui um prólogo de Orson Wells e mais de sessenta fotografias, entre as quais imagens de “Manolete” e Lupe Sino.

 

 

 

Fotografia: ABC

Artigos Similares

Destaques