A Ilha do Touro – 3ª Corrida da Feira, Corrida de Gala à Antiga Portuguesa

Sanjoaninas 2017, Ilha Terceira; Açores

3.º Corrida da Feira, Corrida de Gala à Antiga Portuguesa

Tiago Pamplona – Manuel Telles Bastos – Miguel Moura

Grupos de Forcados Amadores da Tertúlia Tauromáquica Terceirense e Amadores do Ramo Grande.

Ganadarias João Gaspar e Francisco Sousa

 

A terceira corrida da tauriníssima feira das Sanjoaninas, na Ilha mais aficionada do mundo, a Terceira, teve como principal aliciante o regresso das Galas à antiga Portuguesa, cortejo tradicional numa noite fresca, com meia casa preenchida, naquele território banhado pelo Atlântico.

Espetáculo demorado em virtude da logística própria das corridas de gala.

O cavaleiro anfitrião Tiago Pamplona lidou apenas um touro, o seu segundo, quarto da ordem, de João Gaspar, uma vez que o primeiro se inutilizou no decurso da lide e foi recolhido.

Touro com muita transmissão, franqueza, e mobilidade, fixo no cavalo, Pamplona soube tirar partido das investidas de largo e colocou alguns ferros com vistosidade, pena que tenha recorrido excessivamente a batidas ao piton contrário, longe do touro, descompondo-o, o que tirava verdade à sorte e contrariava um animal que pedia ferros ao estribo, de frente.

Este touro foi pegado à segunda tentativa pelo forcado João Pedro Ávila, do Grupo da TTT. Um touro que daria a pega da noite, na primeira saiu-lhe franco de largo e com alegria, foi brusco na reunião, o que corrigia com tirar um metro na reunião, recuando. Na segunda e na minha opinião erradamente, fecharam o touro em tábuas e o forcado foi de curto, apressado e a querer resolver, num animal que saia sempre franco e alegre, pega concretizada com eficácia, mas sem brilho.

Manuel Bastos e Miguel Moura tiveram animais menos colaboradores, reservados e fechando-se cedo em tábuas, andaram corretos, tranquilos e eficazes, ambos com discretas mas profissionais passagens pela bonita praça de Angra do Heroísmo.

Os amadores da TT Terceirense aproveitaram ainda para colocar a pegar jovens, alguns revelando ainda a necessária inexperiência e precipitação, nas segundas tentativas e após muitas mudanças de terrenos, entravam pelos touros, numa das pegas chegou mesmo a ser de sesgo, sem necessidade, parecendo querer resolver rapidamente um problema, que na realidade não existia. Volta nas três pegas.

Os Amadores do Ramo Grande pegaram apenas dois touros, um à primeira e outro à segunda, estiverem corretos nas ajudas e nos forcados de cara, permitindo a volta para ambos, acompanhando os toureiros.

 

 

Artigos Similares

Destaques