Forcados de Évora triunfam diante toiros Castro em Montemor

Montemor-o-Novo recebeu a tradicional corrida de toiros de maio, organizada a exemplo da temporada passada, pela Empresa C. S. Toiros Sul. Este ano o cartel tinha como aliciante a presença de seis imponentes toiros de Fernandes de Castro para os Grupos de Forcados Amadores de Montemor e Évora, capitaneados respetivamente por António Vacas de Carvalho e António Alfacinha, bem como os cavaleiros Luís Rouxinol, Filipe Gonçalves e João Salgueiro da Costa.

Esta tarde de toiros ficou marcada pela excelente prestação dos forcados eborenses com três pegas de grande nível. Foram forcados da cara, João Madeira numa rija intervenção à primeira tentativa, contando com uma preciosa primeira ajuda de Luís Miguens; o cabo António Alfacinha que, após brinde ao G.F.A. de Montemor, se fechou com raça e determinação igualmente ao primeiro intento numa pega bem rematada pelo restante grupo e João Pedro Oliveira que, depois de citar serenamente o oponente, assinou uma corretíssima reunião que fechou com chave de ouro a grande atuação do seu grupo.

Pelos capitaneados por António Vacas de Carvalho, foram forcados da cara Manuel Dentinho à terceira tentativa, após um primeiro intento em que não reuniu corretamente e uma segunda tentativa em que o forcado esteve enorme na cara do toiro não tendo sido correspondido pelos restantes elementos; João da Câmara igualmente à terceira tentativa, depois de duas tentativas em que o forcado deveria ter consentido mais o toiro e por fim o Cabo António Vacas de Carvalho ao segundo intento, após uma extraordinária primeira tentativa em que mais uma vez faltou determinação e coesão nas ajudas.

No capítulo do toureio a cavalo, abriu praça Luís Rouxinol diante um Castro de 530 Kg. Depois de ter cravado três regulares ferros compridos, o toiro desembolou-se, o que forçou a sua retirada de modo a ser novamente embolado. Este facto obrigou a entrada em praça do segundo cavaleiro da tarde, Filipe Gonçalves que rubricou uma primeira atuação em bom plano com destaque para uma série de ferros curtos de boa nota finalizada com um meritório par de bandarilhas. Na sua segunda atuação, quinta da tarde, o cavaleiro esteve regular na ferragem comprida e em bom nível nos ferros curtos com destaque para o primeiro curto da ordem.

Após a primeira atuação de Filipe Gonçalves, retomou a primeira lide Luís Rouxinol perante um toiro que se mostrou com sentido e fechando-se em tábuas após nova embolação, obrigando o cavaleiro de Pegões a cravar a ferragem da ordem em sortes sesgadas. Na segunda atuação do seu lote, Luís Rouxinol esteve em plano positivo com realce para os dois primeiros ferros curtos em que foi dada primazia à investida do oponente. Finalizou a sua segunda lide com um bom par de bandarilhas, para contentamento do público presente.

Completava o cartel o jovem cavaleiro Salgueiro da Costa, com uma primeira atuação inicialmente precipitada no que respeita à ferragem comprida. Nos ferros curtos esteve em plano regular cravando a ferragem da ordem. Na sua segunda atuação, última da tarde, frente a um cumpridor toiro de Castro o cavaleiro mostrou-se em bom plano rubricando uma meritória série de ferros curtos com destaque para a correta preparação e colocação das sortes.

Perante meia casa, frente a irrepreensivelmente bem apresentados e cumpridores toiros de Fernandes de Castro e num espetáculo abrilhantado pela Banda da Sociedade Filarmónica Carlista, dirigiu o espetáculo o Delegado Tauromáquico Sr. Agostinho Borges assessorado pelo Médico Veterinário Dr. Feliciano Reis e pelo Cornetim Sr. Nuno Narciso.     

Artigos Similares

Destaques