Diego Ventura: “Se só me oferecerem um cartel de três rejoneadores, não estarei em San Isidro”

O rejoneador falou com o jornal ABC sobre a sua ausência nas primeiras feiras da temporada em Espanha, comentando as polémicas e deixando clara a sua vontade sobre a Feira de San Isidro.

Diego Ventura comentou a sua ausência na temporada de Sevilha e a polémica sobre a sua recusa de lidar os toiros da  ganadaria Fermín Bohórquez. “Em Castellón Valência não me neguei. Só o disse para Sevilha Madrid, onde a arena é grande, lida-se outro toiro e há outra exigência. Depois de quatro anos a matar os toiros de Bohórquez sem sorte, pedi outro tipo de toiro. Não tenho nada contra esses toiros, triunfei com eles vários anos, mas penso que, no momento em que estão, não são os mais adequados para o espectáculo que quero dar”, explicou o rejoneador.

Ventura confessou ainda que não esperava que fosse este o desfecho quanto a Sevilha.  “Ninguém pensava que eu não tourearia em Sevilha este ano. Pensávamos que se procuraria uma solução. Propusemos duas: que houvesse duas corridas de lide a cavalo ou que eu interviesse numa mista; eu fi-lo, em 2008, e saí em ombros. As duas coisas foram negadas.”

Sobre a Feira de San Isidro, Diego Ventura foi também muito claro quanto aos seus planos. “Confirmo-o plenamente: se só me oferecem um cartel de três rejoneadores, não estarei em San Isidro.”

Questionado sobre se todas estas polémicas o têm afectado, o rejoneador respondeu que não. “Sei muito bem o que posso fazer. Por isso me arrisco a dar este passo: em San Isidro quero fazer um mano-a-mano com Hermoso de Mendoza ou estar eu sozinho com seis toiros. Sinto-me tocado, como aficionado. Quando se ataca tanto a Festa, temos a obrigação de atrair o público com o melhor espectáculo possível.”

 

 

 

 

Fotografia: Frederico Henriques 

 

 

Ultimos Artigos

Artigos relacionados