Daniel Deusdado: O director de programas que atacou as touradas deixa a RTP

Daniel Deusdado, que durante o seu tempo em funções várias vezes criticou a tauromaquia, vai abandonar a direcção de programas da Rádio e Televisão de Portugal (RTP) no final do mês de Março.

A notícia é avançada pelo Jornal de Notícias, que adianta que a decisão já foi comunicada à Administração do canal público, tendo sido fundamentada com o compromisso assumido com os gestores de que ficaria em funções durante os três anos de mandado de Gonçalo Reis, enquanto Presidente do Conselho de Administração da RTP, o qual foi reconduzido.

Daniel Deusdado assumia uma posição contra a transmissão de espectáculos tauromáquicos por parte da estação pública de televisão, tendo mesmo assumido na sua página no Facebook a sua vontade de transmitir cada vez menos touradas por “não ser uma boa prática o serviço público transmitir espectáculos com maus-tratos a animais”.

Durante o tempo em que se encontrou em funções, foi alvo de várias críticas por parte de diversas personalidades.

A título de exemplo, o cavaleiro tauromáquico João Salgueiro afirmou o seguinte numa entrevista: “Impera uma tremenda falta de sensibilidade e hipocrisia nas pessoas que assumem cargos de chefia em estruturas do serviço público. Se em causa está uma lógica de violência, então acabe, com os jornais e as televisões quando emitem imagens de crime e violência”. Tendo acrescentado: “O Director de Programas da RTP não gosta de touradas e está alimentar os seus ódios com esta decisão”.

Também o fadista Gonçalo da Câmara Pereira criticou na altura a decisão do dirigente em transmitir menos corridas de toiros: “Quando a estupidez humana ultrapassa toda a lógica cultural de um país, não há nada a fazer. Era mais fácil esse homem sair do cargo, que não está lá a fazer nada. É inculto.”

Nuno Serra, deputado do PSD, em declarações ao Jornal i, dizia que “a televisão pública não pode deixar de transmitir os espectáculos que correspondem à vontade dos portugueses. As audiências aumentam quando são transmitidas corridas de toiros”. Argumentava ainda que os gostos do Director de Programas não podem condicionar uma televisão que é paga por todos: “A televisão tem de abranger algumas coisas de que ele não gosta. Portugal é muito maior do que o diretor de programas da RTP. Não percebo como é que a RTP pode cortar laços com os portugueses que gostam de corridas de toiros”.

 

 

 

 

 

 

Fotografia: RTP

 

Ultimos Artigos

Artigos relacionados