Crónica do Festival Misto no Redondo

Crónica

O Coliseu Redondense deu o pontapé de saída da temporada 2017 no passado dia 1 de Abril. Festival misto com pouca afluência de público, muito por culpa do outro pontapé da saída, marcado para as 20h30 no Estádio da Luz.

Na parte à Portuguesa anunciavam-se João Moura, António Telles, Rui Salvador e António Brito Paes, na parte apeada António João Ferreira e o Salmantino Juan del Álamo.

Ganadarias de Romão Tenório, Cunhal Patrício, Silva Herculano e Falé Filipe (um para cavalo e dois para as lides a pé).

João Moura abriu a tarde com um novilho Romão Tenório desencastado e com dificuldade em investir ao que se lhe apresentasse, quando o fazia, tapava-se e vinha com a cara alta dificultando a tarefa do Cavaleiro, na sua experiência, sabedoria e engenho conseguiu dar a volta ao novilho. Pegado à primeira sem criar problemas por intermédio de Carlos Cabral dos Amadores de Redondo.

O segundo, um novilho de Cunhal Patrício, bravo, encastado, com transmissão, mobilidade, de menos a mais, fixo e pronto, para lhe apontar um defeito, emparelhava-se com o cavalo, de resto, um animal com muita qualidade. António Telles soube aproveitar a sua condição e tirou partido de sortes de largo, com distâncias, fazendo o Cunhal Patrício sair de longe e a galope, faena interessante a um novilho com muitíssima qualidade, Tamarón está de boa saúde. Este novilho foi pegado também à primeira tentativa, muito pronto na arrancada, pelos Amadores de Beja, através de Francisco Patanito.

O terceiro, um novilho mais pequeno e escorrido, de Silva Herculano, informal, tardo e sem investida já para o final, permitiu a lide possível a Rui Salvador, que em virtude do astado, passou pelo Coliseu de forma discreta. Este foi pegado à primeira por André Falé, dos Amadores de Redondo.

O último a cavalo, de Falé Filipe, foi outro novilho de muita condição, fixo, com mobilidade, e repetição, menos transmissão que o segundo da tarde, mas sem dúvida que com esse, foram os touros da tarde. Brito Paes destacou-se e foi o Cavaleiro com a lide mais redonda, ferros com emoção, com distâncias e depois já em terrenos de compromisso. Faena importante. Este último foi pegado e bem, igualmente à primeira tentativa por Miguel Sampaio, dos Amadores de Beja.

Encerrada a parte equestre, saiu o primeiro Falé Filipe para pé, recebido com um toureio de verónica metido e templado de António João Ferreira, que previa uma faena de muleta destacada. Ferreira aproveitou a nobreza, recorrido e bondade do novilho, permitindo-lhe bonitos derechazos, sempre melhor pelo lado direito do ao natural, embora lhe tenha sacado passes interessantes com a surda.

O último da tarde, tocou a del Álamo, foi um animal que depois do vistoso toureio de verónica do salmantino perdeu todo o gás, na muleta ficava curto por ambos os lados e soltava a cara, rebrincando, não foi seguramente o touro desejado por Juan na sua passagem pelo Redondo.

Tarde de pormenores no arranque da temporada redondense.

Ultimos Artigos

Artigos relacionados