Crónica do Festival da Rádio Campanário em Vila Viçosa

Crónica

Realizou-se este sábado na bonita e aficionada vila de Vila Viçosa o VIII Festival Taurino da Rádio Campanário. Um cartel de figuras numa tarde solarenga, mas fresca com bilhetes com preços ajustados que variavam dos 15€ aos 30€.

A praça estava composta, um pouco mais de meia, com a presença de muitas personalidades de todos os quadrantes da tauromaquia nacional e internacional.

Falando da corrida em si, o primeiro toiro (maior da corrida) a rondar os 500 kg de Maria Guiomar Cortes Moura foi lidado por Rui Fernandes. Não decepcionou sempre muito ligado ao público (música no 2º ferro curto) teve um toiro que nunca se fechou em tábuas, cumpriu e Rui Fernandes soube aproveitar bem, aproveitando para rodar vários cavalos. A pega do 1º toiro ficou a cargo dos Amadores de Évora onde o forcado Miguel Direito pegou à 2ª tentativa

O segundo novilho, de Calejo Pires foi lidado por Manuel Telles Bastos, um toiro solto, bravo e muito bem toureado, um toureio muito português que pessoalmente gosto muito.Este toiro proporcionou a pega mais vistosa da tarde por parte dos Académicos de Elvas, pois arrancou-se mal viu o forcado (João Restolho). Este esteve à altura do que se pedia naquele momento com o toiro a empregar-se até às tábuas.

O terceiro novilho da corrida foi de Francisco Romão Tenório, lidado por João Moura Jr que entendeu bem o Toiro, com muita brega, viu se que estava a “tourear a gosto”, o público sentiu isso e esteve sempre com o cavaleiro. Um toiro bravo sempre ligado, onde o cavaleiro fez questão em convidar o Ganadero Francisco Romão Tenório a dar volta consigo à arena. O toiro foi pegado com facilidade à 1º tentativa pelo forcado Francisco Abreu dos Amadores de Évora.

O quarto novilho, da Ganadaria La Capea foi lidado pelo rejoneador Leonardo Hernandez. O rejoneador espanhol esteve bem, preocupando-se muito em chegar ao público, com um tipo de toureio muito característico. Faltou ao toiro um pouco de transmissão. Saliento o facto de Leonardo Hernandez não se poder esquecer que a corrida é dirigida por um Director de Corrida. O forcado Tomás Silva dos Académicos de Elvas pegou à 3ª tentativa mostrando alguma dificuldade a receber o toiro.

Este Festival teve parte apeada onde Ortega Cano era o cabeça de cartaz sendo substituído por Uceda Leal. também tourearam Morenito de Aranda e o português Manuel Dias Gomes

Não me vou alongar com grandes pormenores, apenas referir a boa prestação dos Matadores diante dos novilhos de Calejo Pires. Uceda Leal mostrou alguns pormenores, mas não teve grande ligação. Morenito de Aranda esteve superior, encontrou um novilho mais colaborante e aproveitou o que pôde, aquecendo o público com uma diversidade de passes.

Manuel Dias Gomes foi claramente o triunfador, mostrou o que o toureio a pé deve ser, parou, “templou”,  mandou e ligou. Mostrou uma variedade de lances de capote e com a muleta uns naturais de grande verdade.

Destacar os belíssimos novilhos de Calejo Pires, bravos, colaborantes e ligados, as lides dos cavaleiros lusos onde com as suas diferenças todos deixaram gosto para mais, a excelente forma em que se encontra Manuel Dias Gomes que de certo grande temporada se adivinha e a excelente pega de João Restolho dos Amadores de Elvas.

Em conclusão foi uma tarde muito bem passada com grande ambiente taurino. Nota-se que o início de época já era muito esperado.

Quero também felicitar a Radio Campanário pelas várias iniciativas e ajuda que dá à festa.

Até a uma próxima tarde de Toiros e principalmente de Cultura.

 

 

Ultimos Artigos

Artigos relacionados