Crónica da III Grande Corrida das Tertúlias Montijenses

Crónica

Montijo, 07 de Maio de 2017

Praça Amadeu Augusto dos Santos

III Grande Corrida das Tertúlias Montijenses

Homenagem a Albino Bruno

Cavaleiros:

– Rui Salvador

– Marcos Bastinhas

– Luís Rouxinol Jr

Forcados:

-Grupo de Forcados Amadores da Tertúlia Tauromáquica do Montijo

-Grupo de Forcados Amadores do Montijo

Toiros:

Ganadaria Sommer D’Andrade

 

O primeiro toiro tinha o nº 29, pesava 580 kg e tinha pelagem salgada.

O cavaleiro Rui Salvador tentou de forma empenhada lidar este toiro, que não lhe facilitou a tarefa, refugiando-se em tábuas e sendo pouco colaborador durante a maior parte da lide. Esteve bem na colocação dos dois ferros compridos.

No que diz respeito aos ferros curtos a tarefa foi mais difícil, pois o toiro não investia e o cavaleiro teve que pisar terrenos mais apertados, tendo levado um toque na montada aquando do penúltimo ferro curto, felizmente sem consequências de maior. Após este susto colocou mais uma bandarilha e deu por terminada a faena.

Para a pega foi o Grupo de Forcados Amadores da Tertúlia Tauromáquica do Montijo, sendo escolhido para efectuar a pega o forcado Luís Carrilho. O forcado não esteve bem nas primeiras três tentativas, acabando por efectuar a pega de sesgo à quarta tentativa. Em todas as tentativas o toiro arrancou de pronto, colocou bem a cara e não criou dificuldades de maior. O forcado não deu volta à praça.

O segundo toiro tinha o nº 16, pesava 550 kg e tinha pelagem preta.

Este toiro calhou em sorte ao cavaleiro Marcos Bastinhas que teve um início de lide animada, colocando de forma correcta três ferros compridos. Na ferragem curta após a colocação de dois ferros, o cavaleiro teve alguma dificuldade na colocação do terceiro, fazendo duas passagens em falso, onde levou toques ligeiros na sua montada, acabando por conseguir colocar o ferro à terceira tentativa.

Para a pega deste toiro saltou à arena o Grupo de Forcados Amadores do Montijo, sendo o forcado da cara o experiente Hélio Lopes. Após uma primeira tentativa onde o forcado teve um mau momento de reunião, o toiro foi pegado à segunda tentativa, a sesgo… Este toiro arrancou-se de forma franca, investiu bem e colocava bem a cara, poderia ter dado uma boa pega.

 

O terceiro toiro tinha o nº 15, pesava 580 kg e tinha pelagem preta.

Luís Rouxinol Jr iniciou a lide com três ferros compridos bem colocados. Na ferragem curta os dois primeiros ferros tiveram nota positiva, seguindo-se um terceiro que iria ser muito bom, não tivesse tido o infortúnio de levar um toque na sua montada. Após a colocação do quarto ferro curto, destaque para o último ferro de palmo, acabando a lide num bom momento.

Para a pega foram os Forcados Amadores da Tertúlia Tauromáquica do Montijo, sendo o forcado de cara o forcado Márcio Chapa. Citou de maneira alegre, carregou no momento certo, recuou e fechou-se com decisão, tendo efectuado a pega ao primeiro intento. O toiro arrancou-se prontamente e colocou bem a cara e entrou pelo grupo que ajudou bem, na minha opinião a melhor pega da tarde.

Ao intervalo procedeu-se à homenagem ao Exmo. Sr. Albino Bruno, grande aficionado montijense, que muito tem feito em prol da tauromaquia a nível local.

O quarto toiro tinha o nº 25, pesava 545 kg e tinha pelagem preta.

Este toiro foi muito pouco colaborador, cabendo uma vez mais a Rui Salvador ir para terrenos complicados para conseguir cravar os ferros. Valor lhe seja dado pela entrega a que já nos habituou, não tendo tido sorte em nenhum dos toiros que lhe calhou em sorte. No final da lide, o público presente na praça pediu insistentemente mais um ferro, não tendo o mesmo sido autorizado pelo Sr. Director de corrida, o que gerou alguma revolta nas bancadas.

Para a pega deste toiro saltou à arena o Grupo de Forcados Amadores do Montijo, sendo José Pedro Suíças o escolhido para ir à cara do toiro. Pega efectuada a sesgo, à quinta tentativa, após quatro tentativas em que o forcado não esteve bem no momento da reunião. O toiro investia e colocava bem a cara, podia ter dado uma boa pega. Forcado não deu volta à praça.

 

O quinto toiro da tarde tinha o nº 9, pesava 573 kg e era de pelagem preta salpicada.

Marcos Bastinhas colocou três ferros compridos, seguidos de três ferros curtos em que teve de arriscar passar entre as tábuas e o toiro, pois o mesmo já não saia desses terrenos. Apesar das dificuldades que o toiro apresentava, o cavaleiro decidiu trocar de montada para a colocação de um par de bandarilhas. Ao passar novamente entre as tábuas e o toiro levou forte colhida, tendo Marcos Bastinhas caído da sua montada, felizmente sem consequências graves. Após este desaire ocorreu um momento algo caricato em que o cavaleiro aproveita o facto de já se encontrar apeado e se dirige ao centro da praça para agradecer ao público, recolhendo grande ovação por parte do mesmo (vá-se lá perceber isto…).

Para a cara deste toiro foi o forcado Rúben Durães do Grupo de Forcados Amadores da Tertúlia Tauromáquica do Montijo. Pega efectuada à terceira tentativa, não tendo o toiro criado dificuldades de maior.

 

O sexto toiro da tarde tinha o nº 7, pesava 590 kg e tinha pelagem preta.

Luís Rouxinol Jr colocou três ferros compridos e quatro curtos, tendo estado em destaque o seu cavalo Palomino pela forma como leva o toiro consigo, fazendo do seu corpo um verdadeiro capote. Alguma dificuldade em colocar o toiro para a pega, pois o mesmo deitou-se e não estava com muita vontade de se levantar.

Para a pega deste toiro foi o forcado João Paulo Damásio, do Grupo de Forcados Amadores do Montijo, tendo efectuado a pega à terceira tentativa, não tendo o toiro criado dificuldades que o justificassem.  

O curro estava muito bem apresentado, pena o comportamento dos toiros não ter sido equivalente à sua apresentação.

(Esta crónica é a minha opinião pessoal enquanto aficionado e defensor da nossa Festa.)

Ultimos Artigos

Artigos relacionados