Coruche, 23 abril | Entrevista à Associação Nossa Praça

No próximo dia 23 de abril celebra-se a primeira corrida do abono coruchense na temporada de 2022. Inicia-se com o Festival Novas Gerações, que conta com a presença de seis cavaleiros praticantes cheios de vontade de triunfar frente a um curro da ganadaria Cunhal Patrício.

 

TN: Este é o terceiro ano da Associação Nossa Praça à frente dos projetos tauromáquicos na Praça de Toiros de Coruche. Como tem sido este desafio e o que já aprenderam com esta experiência?

ANP: Sim, terceiro ano ao leme da monumental de Coruche e primeiro ano vivido em quase normalidade. Quase normalidade porque, infelizmente, outros desafios nos são impostos pela realidade mundial em que nos encontramos. Se há algo que a experiência nos ensinou é a ter uma permanente disponibilidade para nos adaptarmos e continuar a tentar encontrar o caminho de fazer bem feito. Esperamos consegui-lo.

 

TN: A temporada de 2022, em Coruche, está cheia de aliciantes diferentes daqueles que costumamos ver e a expectativa dos aficionados parece aumentar a cada dia. Creem que a experiência que adquiriram nestes três anos vos ajudou a montar esta temporada?

ANP: Sim, pensamos que sim. Mas não é o fator de maior peso, esse parece-nos talvez ser o espírito fundador da Associação Nossa Praça. Desde o princípio, os 10 aventureiros que nos lançámos neste desafio temos muito claro que o objetivo central é o de tentar marcar com as nossas iniciativas e o nosso contributo a importância da Tauromaquia. Um espírito que faça de Coruche a Praça de todos; que contribuía com verdade e paixão para a afirmação desta nossa riqueza; que faça que todas as figuras queiram Coruche e que a vejam como um objetivo a alcançar e que, acima de tudo, o Toiro seja a personagem principal desta tão importante manifestação cultural e artística. Ter o Toiro e a sua extraordinária natureza como a verdadeira inspiração da Festa, o amor ao Toiro, o respeito ao Toiro.

 

TN: As corridas que idealizaram foram as que acabaram por montar? Ou sonharam com outros cartéis/figuras?

ANP: Podemos afirmar com muita satisfação que montámos uma época muito próxima do esboço inicial que delineámos. Mesmo assim, uma ápoca taurina com 4 espetáculos com o peso dos que pensamos ter conseguido, com a antecedência que conseguimos, é uma realidade que se obtém de contactos, de negociações, de encontros de vontades, de desencontros de vontades. É a vida e a Tauromaquia não é mais que mais uma das facetas da vida. Achamos que alcançámos o desejado e isso é muito reconfortante. Esperamos que seja aliciante para todos.

 

TN: Há alguma corrida que vos desperte mais “carinho” ou olham para todas de maneira igual? E porquê?

ANP: Certamente que para todas de maneira igual e com o mesmo amor com que os pais olham para os seus diferentes filhos. São 4 corridas diferentes e únicas. Um Festival que, embora, infelizmente e obrigatoriamente pelo número, possa ter deixado de fora alguns nomes do futuro, é um apanhado muito representativo das novas gerações do toureio a cavalo, 6 galos a um poleiro, que têm o desafio de enfrentar um seríssimo curro de toiros com quatro anos; um mano-a mano inédito entre dois figurões do toureio mundial, com um curro impressionante de Veiga Teixeira; um confronto de dinastias único como o que montámos, com Ribeiro Telles e Salgueiros, que se “apeitam” com um grande curro de Passanhas e o concurso das ganadarias do Sorraia, da nossa terra, com 6 ferros históricos, com as comemorações de 35 anos de alternativa de um dos Grandes, acompanhado por duas Figuras… juntando a tudo isto a presença dos forcados de Coruche nos 4 espetáculos, acompanhados em 3 deles por Vila franca de Xira, Évora e Alcochete, pensamos que fica clara a impossibilidade de distinção e porquê. 

 

TN: Este ano adotaram uma nova maneira de adquirir bilhetes para as corridas da temporada coruchense, o Cartão Nossa Praça – podem-nos explicar como funciona e como se pode adquirir?

ANP: O Cartão Nossa Praça é um combinado entre o abono e a fidelização do aficionado à Associação, é uma forma de ficarmos com uma base de dados do nosso público de forma a familiarizar a comunicação, em contrapartida o titular tem uma série de vantagens muito além do tradicional abono de desconto nos bilhetes, tais como a escolha de lugar para a época, descontos em restaurantes ou estabelecimentos comerciais aderentes, merchandising, entre outras vantagens. Para aderir basta fazer o pedido por e-mail ou nas bilheteiras da Praça, preencher a ficha com os dados pessoais e devolver. Para ativar o Cartão tem de adquirir pelo menos, dois bilhetes para dois espetáculos.

 

TN: Este primeiro cartel, o Festival Novas Gerações, é provavelmente um dos mais apetecíveis cartéis da temporada e onde se espera grande competição – o que significa para a Associação Nossa Praça poder proporcionar este espetáculo à afición e o que espera, ela própria, deste dia 23 de abril?

ANP: Olhamos para o festival das Novas Gerações com grande expectativa. O espirito impulsionador desta corrida foi, desde início, a preocupação da Nossa Praça com as oportunidades que é necessário proporcionar a quem começa. Para além disso, achámos que deveria acontecer de uma forma muito séria e proporcionando aos Novos um momento de disputa geracional que seja marcante, antes de mais, para eles. A Tauromaquia é competição. Não competição desportiva, mas competição artística, de ética e de valores. Têm ao dispor matéria prima de primeira classe, através de um curro de 4 anos de Cunhal Patrício, sério e em tipo da ganadaria que, coincidentemente, volta a correr toiros na sua terra. Depois, temos a convicção que, da forma que está montado, é um espetáculo de e para aficionados. Quem não se emociona com as oportunidades dadas aos novos e a possibilidade de os ver terem capacidade de resolver problemas muito sérios? Desejamos-lhes muita Sorte e que seja um momento memorável nas suas carreiras.

 

TN: Finalmente, como última pergunta, que mensagem querem deixar aos aficionados para que venham a Coruche no próximo dia 23 de abril?

ANP: Queremos dizer-lhes, sem discriminar nenhum deles, que este é um dia de aficionados, dos mais novos e dos mais velhos, dos que mais sabem e dos que mais querem saber, das famílias aficionadas… de todos. Esta é a Vossa Praça!

 

Obrigado pela vossa disponibilidade e desejamos-vos sorte para este primeiro desafio da temporada de 2022 em Coruche.

Ultimos Artigos

Artigos relacionados