Cartaxo: Pouca história mas houve Bastinhas

Corrida de comemoração das festas da cidade do Cartaxo. Cartel composto por João Moura, Manel Telles Bastos, Marcos Bastinhas, Duarte Pinto, Miguel Moura e Parrerita Cigano. Toiros bonitos da ganadaria Mata-o-Demo. Grupo de Forcados Amadores de Cascais de Coimbra e do Cartaxo.

Foi com uma praça muito bem composta de público que ontem se desenrolou uma corrida com pouca história a registar, Marcos Bastinhas com o seu estilo já habitual chegou com muita força e determinação ao público, uma grande porta gaiola e ferros de muito mérito, com grandes remates após a cravagem. Mais uma grande noite de Marcos. Ganhou e bem o prémio para a melhor lide em disputa. Também teve a sorte de lhe calhar em sorte um grande toiro de Mata-o-Demo, no fim, toureiro e ganadero deram ambos volta! João Moura, abriu praça com uma lide regular, mas muito séria.

Manuel Telles Bastos toureiro de dinastia lidou um toiro, que não sendo muito bravo, o deixou fazer o tipo de lide que gosta, com uma atuação em crescendo, com destaque para os dois últimos ferros a sesgo!

Duarte Pinto colocou bem a ferragem, procurou estar alegre e fazer as coisas bem, com um estilo clássico bem vincado, público correspondeu ao compromisso do Duarte.

Miguel Moura tive uma noite mais complicada, muito esforçada e de grande entrega, mas só isso.

A Parrerita Cigano saiu o pior toiro e faltaram argumentos e experiência para fazer melhor, muito melhor.

A disputar o prémio para a melhor pega, abriu praça o grupo de Cascais por Rui Grilo, cite bonito, mostrou se bem mas faltaram os ajudas mais coesos, na segunda tentativa o grupo esteve mais coeso e a pega resultou perfeita.

A segunda pega da noite foi a vencedora do prémio em disputa, Pedro Casalto do grupo de Coimbra executou uma rija pega a primeira tentativa com o grupo todo muito unido, bonito no cite e aguento bem, mandando sempre na arrancada do seu oponente.

Prémio justo e bem entregue. Para pegar o quarto da noite veio Carlos Dias do grupo de Cascais a executar com limpeza uma aparente pega fácil. Em quinto veio o Cabo do grupo de Coimbra, Pedro Silva, dura tentativa do qual resultou lesionado, sendo dobrado por Ricardo Matos que efetuou uma belíssima pega a um touro duro, muito bem ajudado pelo restante grupo.

Deixei para último as duas pegas do grupo do Cartaxo para dizer que é um grupo que precisa de muito treino e que não está preparado para enfrentar com dignidade a exigência de se apresentar em praça com público que paga e que merece ser respeitado, tanto o público como a festa.

Atuação pouco digna para com todos os elementos da festa mas principalmente para todos os elementos do seu grupo. Um toiro vivo para dentro e outro “agarrado” a quinta tentativa.

Corrida entretida e com público mas com pouco a ficar para a história.

 

Artigos Similares

Destaques