Em Andújar Ponce impôs o seu toureio e Roca Rey entre a tragédia e a glória numa grande faena

A localidade de Andújar foi ontem, dia 12 de Março, palco de uma agradável corrida de toiros. Com o motivo da Festa da Primavera, apresentaram-se em praça três gerações de toureiros, Enrique Ponce, Cayetano Rivera e Andrés Roca Rey, com toiros da Ganadaria Salvador Domecq, de boa apresentação e jogo desigual.

Destaque para o profissionalismo que os toureiros apresentaram nas suas actuações, não olhando para a dimensão da praça ou importância da data. Enrique Ponce como matador de maior antiguidade em praça, mostrou o porquê de ser há largos um toureiro de referência, que classe e dimensão da sua toureria. Levou de Andújar o rótulo de triunfador com três orelhas. O seu segundo toiro é de livro, muita profundidade e temple numa faena em crescendo. Grande toiro de Salvador Domecq, qualidade e nobreza pena a falta de força em algumas investidas.

Cayetano teve no seu primeiro toiro de saída, uma boa faena com “derechazos” que chegaram ao tendido com emoção, desacerto na sorte suprema o que impediu de conquistar o troféu. O quinto da tarde foi o pior da corrida e Cayetano não teve uma faena conseguida.

Roca Rey mais uma vez mostrou toda a sua ambição, marcou os terrenos de compromisso e quis mostrar como toureiro mais novo, a exigência e competição que os consagrados têm de sentir quando compartem cartel com o peruano. Apenas toureou o seu primeiro toiro, que era complicado. Andrés teve uma faena de verdade, tanto de capote como de muleta, com grandes momentos de decisão e mando na faena. Foi colhido já no final, levantou-se “no pasa nada” e matou numa primeira estocada que com forte petição, conquistou duas orelhas e um rabo, saindo logo de seguida para o hospital.

 

foto: mundotoro

Artigos Similares

Destaques