Fotos: André Ventura diz: “Não vamos deixar que o mundo rural seja destruído”

Segundo a organização do evento nas redes sociais, eram cerca de cinco mil pessoas, que se encontravam na concentração pelo Mundo Rural, ontem, no Terreiro do Paço. André Ventura marcou presença e defendeu um país com Mundo Rural.

O Mundo Rural ontem concentrou-se no Terreiro do Paço e mostrou que tudo vai fazer para defender a cultura portuguesa. Vieram de Norte a Sul do país, das mais diversas áreas, mostrar aos que atacam o Mundo Rural que estão unidos e que tudo vão fazer para não perder as tradições.

André Ventura, do partido Chega, esteve presente no Terreiro do Paço e foi bastante aclamado pelos intervenientes na Concentração Pelo Mundo Rural, afinal o deputado avança que isto não vai parar e que tudo vai fazer para defender o Mundo Rural.

Para o deputado é importante estas concentrações para defender a cultura: “Há uma parte do sistema político que quer destruir essa realidade e, por isso, tem que haver um sistema politico igualmente forte para defender esta realidade. Estamos aqui a mostrar que há uma parte do sistema político, como nós e ouros que aqui estão, que não vamos deixar que o mundo rural seja destruído. E vamos usar todas as nossas armas para evitar que o Mundo Rural desapareça”.

André Ventura não tem dúvidas de que “uma parte do que os partidos querem é que não haja Mundo Rural e que haja apenas este mundo urbano em que vivemos porque é o que lhe interessa a eles enquanto perspectiva eleitoral”.

“Se o campo não planta, a cidade não janta”, podia ler-se em alguns cartazes durante a concentração pelo Mundo Rural. Confrontado com esta frase, André revela: “Quem está no Parlamento muitas vezes não tem noção disso e é fácil falar da criação de animais, das touradas, da agricultura, quando não se faz ideia do que se está a falar. Nós já desafiámos e vamos desafiar o PAN, o Bloco de Esquerda e o Partido Socialista a irem ao Mundo Rural, a verem como é que funciona. Se calhar vêm de lá com ideias diferentes daquelas que têm. É que é uma industria que morre, é a economia que morre, são famílias que perdem empregos e são economias que desaparecem e depois quero ver como é que a esquerda vai olhar para estas pessoas que aqui estão”.

Quem também esteve presente na concentração foi Santana Lopes, que se manteve entre amigos e sem dar muito nas vistas.

Fotos: Tauronews

 

Artigos Similares

Destaques