PADILLA, GO HOME!

Podem abrir-lhe o peito, escarafunchar sem dó nem piedade, porque estamos certos de uma coisa: Em vez de um coração, Padilla tem no peito um motor Ferrari 3.9 litros biturbo V8, juntas de kryptonite, veias de cabo de aço, artérias autorregeneradoras e é bem capaz de, mesmo só com um olho, ter mais megapixéis do…